Empresas gastam 60% do orçamento com deslocamento dos funcionários em políticas voltadas para o carro

Vagas de estacionamento, auxílio combustível, veículos corporativos e táxis. Esses são os incentivos que as empresas mais oferecem aos funcionários como benefícios do deslocamento ao trabalho.  Um estudo realizado por pesquisadores do WRI Brasil Cidades Sustentáveis revela que apenas 40% dos custos com benefícios de transporte oferecidos pelas empresas são compostos por modos sustentáveis como transporte coletivo e ônibus fretado.

A pesquisa foi realizada com cinco empresas localizadas em diversas capitais. Apenas uma possuía menos de 50 funcionários, as demais tinham mais de 800 funcionários cada. Quatro das cinco organizações possuem custos com benefícios ao transporte individual motorizado superiores ao investido em benefícios ao transporte sustentável.

(gráfico: Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis)

(Gráfico: Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis)

As empresas são responsáveis por gerar um grande número de deslocamentos casa-trabalho-casa todos os dias e possuem um papel fundamental na busca por soluções para minimizar os congestionamentos das cidades. “É preciso que o setor corporativo entenda que o poder público não é o único responsável na busca por soluções para os problemas de mobilidade. As empresas precisam quebrar paradigmas e entender que uma política de benefícios de transporte vai muito além de oferecer vagas de estacionamento”, Guillermo Petzhold, especialista em Gestão de Demanda de Viagens.

(Infográfico: Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis)

(Gráfico: Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis)

A pesquisa “Revelando os custos invisíveis do deslocamento dos funcionários para as organizações” também constatou que outros itens capazes de incentivar o transporte sustentável como “bicicleta e caminhada” e “incentivos e desincentivos financeiros de mobilidade” não puderam ser identificado pelas empresas participantes por não terem medidas deste tipo em vigor ou por não conseguirem identificar o custo. O transporte sustentável nas empresas é restrito ao transporte coletivo, fretado e teletrabalho. Além disso, o estudo revela que em todos os casos o transporte coletivo beneficia um maior número de funcionários frente à respectiva porcentagem do seu custo total para as empresas.

infográfico-TDM-2

“Embora as organizações não controlem a forma como seus funcionários se deslocam ao trabalho, elas, por muitas vezes, estimulam sua escolha modal” diz o documento. Com a decisão de adotar uma estratégia de mobilidade corporativa, as empresas são convidadas a revisar as suas políticas internas que acabam influenciando o padrão de deslocamento dos seus funcionários. “Essa revisão deve priorizar benefícios ao uso de modos mais sustentáveis de transporte de forma a estimular uma mudança de hábitos por parte dos funcionários”, afirma Guillermo. Ao incentivar o transporte sustentável, a implementação de medidas de mobilidade corporativa também pode reduzir custos.

 

(gráfico: Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis)

(Gráfico: Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis)

Acesse a íntegra do estudo “Revelando os custos invisíveis do deslocamento dos funcionários para as organizações”.