Prefeitura de São Paulo estuda recompensa a quem trocar ônibus ou carro pela bicicleta

(Foto: Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis)

(Foto: Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis)

A prefeitura de São Paulo segue perseguindo o objetivo de estimular o uso da bicicleta. Agora, a gestão de Fernando Haddad planeja implementar o bilhete mobilidade para substituir o atual bilhete único. Com isso, quem fizer parte do seu percurso diário usando uma bike acumulará créditos e poderá ser recompensado financeiramente.

A intenção é promover o uso da bicicleta e a integração entre os modais. Os ciclistas acumulariam créditos conforme a distância, o horário e o local percorridos. Em troca, poderiam ganhar descontos na passagem de ônibus, em viagens de táxi ou ao utilizar algum transporte em carros compartilhados, como o Uber, ou gastar em estabelecimentos credenciados. Também há a possibilidade de resgatar os créditos em dinheiro. Iniciativas semelhantes já foram implementadas em Paris e Milão, por exemplo.

A verba sairia do montante destinado a empresas de ônibus como subsídio, valor que chega a R$ 2 bilhões ao ano. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o vereador José Police Neto (PSD), parceiro da prefeitura no desenvolvimento do projeto, explicou a intenção das medidas: “Subsídio não deve ser repassado apenas para o transporte coletivo. Temos de mudar essa lógica e usar melhor esse dinheiro. Ao incentivar o uso da bicicleta, tiram-se carros das ruas e passageiros dos ônibus superlotados”.

O projeto original foi proposto pelo vereador José Police Neto (PSD) e já foi aprovado pela prefeitura. A Câmara Municipal deve votar até o final do ano, com previsão de adoção do bilhete já em 2017.