Plataforma tecnológica cria interação e engajamento no Porto Maravilha

Na última semana, foi apresentada a plataforma tecnológica instalada no Porto Maravilha, que permite a experimentação e implementação de novos serviços, incluindo os criados pelos próprios cidadãos e startups. As 15 soluções urbanas inteligentes conectadas a essa plataforma permitem um maior engajamento com a cidade, além de oferecer mais ferramentas para sua operação, planejamento e tomada de decisões. A iniciativa é fruto de 18 meses de pesquisas realizadas pela Prefeitura do Rio de Janeiro e pela Cisco.

Foto: Divulgação / Cisco

Quatro quiosques interativos fazem parte da plataforma do Porto Maravilha (Foto: Divulgação / Cisco)

Os serviços e aplicativos são focados em mobilidade, colaboração, turismo, meio ambiente, acessibilidade, fomento à inovação e planejamento urbano. O funcionamento é viabilizado por meio de uma rede Wi-Fi urbana, um datacenter e uma plataforma colaborativa.

A rede vai contar com ferramentas que fornecem informações sobre fluxo e concentração de pessoas. A ideia é que os dados sejam usados para melhorar a gestão e a tomada de decisão no Porto Maravilha, além de servir como base para a criação de novos serviços para a cidade. Os dados coletados também poderão servir de base para pesquisas no futuro.

Quatro quiosques interativos, com telas sensíveis ao toque, permitem o engajamento das pessoas por meio de informações como localização, mobilidade, serviços públicos, agenda cultural, entre outros. Outro ponto importante são as estações de sensoriamento ambiental, que coletam dados ambientais da região a partir de 11 sensores (alimentados por energia solar), e repassam ao Centro de Operações do Rio. A proposta permite que a prefeitura tome medidas para mitigar riscos no local.

Foto: Divulgação / Cisco

Fazem parte, ainda, das instalações no Porto Maravilha: 28 bueiros equipados com os sensores volumétricos (imagem ao lado), dois sistemas de áudio/vídeo vigilância e uma plataforma de interação social que permite que pessoas próximas, mesmo que não se conheçam, possam se ajudar. Os serviços foram criados pelas startups vencedoras do Desafio Cisco de Inovação Urbana.

Dados que viram música

A Cisco também lançou o aplicativo “Ouça a Cidade”, que transforma os dados em músicas originais. Informações sobre mobilidade urbana, tempo, engajamento nas redes sociais e conectividade viram melodias disponíveis em diferentes canais para o usuário. O ritmo e o estilo das músicas mudam de acordo com o fluxo de dados em tempo real, com a curadoria do compositor e designer de som Robert Thomas. A velocidade média dos ônibus, por exemplo, dita o ritmo da música, enquanto a quantidade de pessoas conectadas é representada pelos sons abstratos e atmosféricos.

Para levar o resultado adiante, foi criada a ação “Hora da Música”. Saindo da experiência de imersão individual, os usuários são convidados a contribuir com a composição da trilha sonora e uma bicicleta vai levar a música criada para diferentes pontos da cidade.