Paris banirá carros velhos das ruas a partir de julho

(Foto: Loïc Lagarde/ Flickr-CC)

(Foto: Loïc Lagarde/ Flickr-CC)

O sétimo mês do ano começa com uma novidade na capital francesa. Paris decidiu, como medida antipoluição, banir da área central os carros registrados antes de 1997 e as motos de antes de 1999. A medida vale para os dias de semana, das 8h às 20h.

Quem violar a medida está sujeito a pagar multa de 35 euros, punição que aumentará para 78 euros a partir de 2017. A estratégia faz parte de um plano antipoluição que pretende evoluir progressivamente. Em 2020, por exemplo, carros registrados antes de 2010 serão banidos.

A ideia foi da prefeita Anne Hidalgo, que recentemente proibiu a circulação de carros na Avenida Champs-Élysées durante o primeiro domingo de cada mês. As zonas de circulação restrita aos carros e aberta aos pedestres também foram aumentadas em trechos de grande movimento e às margens do Rio Sena.

Menos poluição e mais segurança viária

Estudos indicam que veículos antigos, além de poluírem mais, apresentam maior risco de morte em acidentes. Na Nova Zelândia, o risco de que um acidente de trânsito resulte em vítimas foi identificado como sendo três vezes maior para veículos de 15 anos ou mais, em comparação com os modelos mais recentes. Na França, a análise apresentou risco de morte do condutor até sete vezes maior em veículos registrados antes de 1991 ao serem comparados com carros registrados a partir de 2003. Na Austrália, uma pesquisa aponta que a redução de 11,2 anos para 7,5 na idade média da frota contribuiria para uma redução de 10% nos acidentes com mortos e feridos.

No entanto, há pesquisas que fazem um contraponto, ao ponderar que frotas de veículos mais novos podem estar relacionadas a comportamentos mais arriscados de seus condutores, com o aumento da velocidade desenvolvida.

Todos os veículos particulares movidos a combustíveis fósseis poluem. Ainda assim, segundo o Ministério do Meio Ambiente, a frota de veículos mais nova possui tecnologias melhores para controle das emissões. Além disso, as emissões dos veículos aumentam ao longo da vida útil.

Foto: Ian Britton/Flickr-CC)

Foto: Ian Britton/Flickr-CC)

Uma análise brasileira feita pelo Laboratório de Sistemas de Transportes (LASTRAN), da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), elaborado por alguns técnicos do WRI Brasil Cidades Sustentáveis, calculou os benefícios da renovação de frota de automóveis no país. “A substituição de todos os veículos com mais de 20 anos por automóveis novos proporcionaria um ganho inicial anual de cerca de R$ 216 milhões. Se toda a frota fosse formada por automóveis novos, a economia anual passaria para R$ 2,3 bilhões”, conclui o estudo.

^6A7EC5D19A1C29A889B32933A2C88D7F6CD750AA3C36BB20EA^pimgpsh_fullsize_distr

Fonte: http://www.anpet.org.br/xxixanpet/anais/documents/AC941.pdf

A medida proibitiva de Paris atingirá por volta de 10% da frota de veículos da cidade. O valor para a segurança viária da capital francesa e para o ambiente, bem como os impactos financeiros, apesar de ainda não terem sido diretamente calculados, já apresentam perspectivas positivas. Para todos.