Energia limpa, bicicleta e cinema: como um evento movimenta o país ensinando boas práticas

Ao serem pedaladas, as bicicletas produzem a energia motriz, que é recebida por um equipamento condensador. (Foto: Paula Tanscheit/WRI Brasil Cidades Sustentáveis)

Da necessidade de chamar a atenção para um tema tão importante quanto a geração de energia limpa e da vontade de ocupar espaços públicos surgiu a ideia do Cine Pedal Brasil. O evento está movimentando diversas capitais do país colocando voluntários a pedalar para gerar energia que garante a projeção de um filme em um telão.

No último final de semana, o Cine Pedal passou em Porto Alegre. Mesmo com o frio, o público compareceu em bom número. Na tarde do sábado (4) e do domingo (5), próximo ao Espelho d’Água no Parque da Redenção, foi montada a infraestrutura do evento. Ao todo, dez bicicletas fixas e dez bases para bicicletas do público foram instaladas, além de um pedal manual que podia ser utilizado por cadeirantes, crianças e idosos. Ao serem pedaladas, as bicicletas produziram a energia motriz (gerada por meio de movimentos contínuos), que foi recebida por um equipamento condensador responsável por alinhar a energia gerada e que, em seguida, foi redistribuída para o projetor e para os equipamentos de som e iluminação utilizados no evento.

Os participantes precisavam gerar no mínimo 1.300 watts para o filme ser transmitido. Um sinalizador marcava quantos watts estavam sendo gerados e, quando o nível estava abaixo do desejado, os voluntários aproveitavam para “animar” os ciclistas. Com muita movimentação, os presentes trocavam de lugar e cediam bikes para que todos pudessem contribuir com a sua “energia”.

Evento contou ainda com debates sobre mobilidade urbana, meio ambiente, inovação e sustentabilidade. (Foto: Paula Tanscheit/WRI Brasil Cidades Sustentáveis)

O TheCityFix Brasil conversou com a diretora do evento, Adriana Dutra, que explicou que a tecnologia usada no evento foi trazida de Londres e colocada em prática pela produtora Inffinito. “Encontramos a oportunidade de proporcionar entretenimento e falar sobre geração de energia limpa. O importante é que aqui o protagonista não é o filme ou a música, mas sim a atividade em si, a vontade de todos de usar o espaço público para colaborar e gerar energia”, afirmou. Adriana destacou ainda o grande apoio das prefeituras e do público nos eventos. Segundo ela, a iniciativa em Porto Alegre recebeu 650 pessoas no sábado e mais 800 no domingo, com mais de 400 voluntários que pedalaram.

As obras exibidas no telão foram “Bike vs Carros”, documentário sobre como a indústria automobilística influencia nas políticas públicas das cidades e como a bicicleta começa a mudar a realidade, e “O Menino e o Mundo”, animação brasileira indicada ao Oscar que conta a história de um menino que deixa sua aldeia e descobre um mundo fantástico dominado por máquinas‐bichos e estranhos seres. Além dos filmes, o Cine Pedal Brasil também abre espaço para a realização de debates com os temas “mobilidade x inovação” e “meio ambiente e sustentabilidade x educação”.

As próximas cidades que receberão o evento são São Paulo (dias 18 e 19 de junho) e Belo Horizonte (9 e 10 de julho). Na segunda fase, mais cinco cidades serão contempladas pelo projeto: Brasília, Goiânia, Salvador, Recife e Natal.