Novos binários trarão mais mobilidade à Fortaleza

(Foto: Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis)

Em um trabalho integrado com diversos órgãos do governo, Fortaleza inicia este mês a implantação de nove novos binários na cidade. As intervenções ocorrerão em cerca de 22 vias que envolverão diretamente quatro bairros da região central da cidade.

Os binários – ruas paralelas que operam em sentidos contrários – buscam dar maior fluidez ao tráfego de veículos, mas fazem também parte de um conjunto de transformações de mobilidade pelo qual Fortaleza passa atualmente. A frota de veículos da capital cearense mais do que dobrou entre dezembro de 2003 e 2013, passando de 426 mil automóveis para 908 mil, segundo o Plano de Ações Imediatas de Transporte e Trânsito (PAITT).

Os bairros Messejana, Joquéi Clube, Bela Vista e José Bonifácio receberão as mudanças. Eles estão situados em três áreas da cidade que ainda ganharão maior infraestrutura cicloviária, equipamentos de lazer e educação, iluminação e acessibilidade. “Nós estamos fazendo mudanças em três áreas da cidade que vão muito além de simples binários. Uma intervenção na José Bonifácio, ligando a Domingos Olímpio até a Aguanambi, inclusive cruzando a Aguanambi com um binário, permitindo mais prioridade ao transporte público, mais fluidez no trânsito e mais segurança viária aos pedestres”, declarou o prefeito Roberto Cláudio ao apresentar o pacote de intervenções.

O gestor municipal também destacou as mudanças no bairro Messejana, com o maior número de novos binários. “Hoje, o centro de Messejana está muito engarrafado, porque basicamente depende de duas vias. Teremos cinco binários, requalificação de estacionamento, faixa de pedestre em nível, novas ciclofaixas e faixas exclusivas de ônibus também”, explicou.

As transformações são desenvolvidas pela Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos, Secretaria Municipal de Infraestrutura, Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania e a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza. Os binários devem estar todos prontos até o final de junho.

(Foto: Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis)

Além de modificações nas vias, Fortaleza também projeta expandir seus espaços dedicados para os ciclistas com as obras dos binários. As ações fazem parte do Programa de Expansão da Malha Cicloviária, em paralelo com o Plano Diretor Cicloviário Integrado, que prevê chegar ao final de 2016 com cerca de 216 quilômetros de infraestruturas cicloviárias. Atualmente, são 148,5 quilômetros. O Plano de Ações desenvolvido na cidade é um conjunto de iniciativas da prefeitura, que buscam melhorar o trânsito e o transporte público da cidade a curto prazo.

Fortaleza foi uma das dez cidades selecionadas para integrar a Iniciativa Global em Segurança Viária da Bloomberg Philanthropies, um compromisso para reduzir fatalidades e feridos no trânsito, e o PAITT teve importância fundamental nessa escolha. “Segurança viária é uma questão de saúde pública em Fortaleza e em todo o mundo. Fortaleza já tem mostrado grande liderança com a criação do PAITT e esse foi um dos motivos que fez com que Fortaleza fosse escolhida”, disse Kelly Larson, líder do programa de segurança viária na Bloomberg Philanthropies.

Ao longo de cinco anos, o programa vai investir US$ 125 milhões para implementar legislações nacionais referentes à segurança viária e intervenções municipais para salvar vidas. O WRI Brasil Cidades Sustentáveis também trabalha auxiliando a cidade em projetos de mobilidade e segurança viária. Em uma de suas mais recentes atividades na cidade, a equipe de Segurança Viária do WRI Brasil atuou em um workshop onde o objetivo era debater metodologias de análise e tratamento para os “pontos críticos” de acidentes, visando à melhoria da segurança viária em Fortaleza. O evento foi conduzido por Christine Nodari, doutora em Segurança Viária e professora da UFRGS, e teve a participação de Shanna Lucchesi, Especialista em Segurança Viária do WRI Brasil Cidades Sustentáveis, e Dante Rosado, Coordenador da Iniciativa Bloomberg em Fortaleza.