A água que gastamos sem notar e o que (não) sabemos sobre Pegada Hídrica

(Foto: Liana Amin Lima/Wikimedia Commons)

A escassez de água doce é um dos elementos da extensa lista de desafios enfrentados pela humanidade hoje. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma em cada três pessoas no mundo – algo em torno de 2,4 bilhões de indivíduos – não têm acesso a serviços de saneamento básico e água potável.  Ou seja, aquilo que equivale ao mínimo para a sobrevivência, continua sendo elemento de utopia para muita gente. Essa urgência infelizmente segue contemporânea, por isso, até 2030, alcançar o acesso universal e equitativo à água potável e segura para toda a população mundial é um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Em perspectiva singular, precisamos entender que o gasto de água não está associado apenas ao tempo de banho e particularidades da espécie.

O CicloVivo levantou esse questionamento na semana em que foi celebrado o Dia Mundial da Água. O texto abre com um convite à reflexão: “Você já parou para pensar na quantidade de água que você consome diariamente?”. Para, então, apresentar os conceitos de Água Virtual e de Pegada Hídrica. Em caso de desconhecimento de ambos, a primeira impressão é questionar por qual motivo não tínhamos esses conceitos junto à nossa lista de perspectivas óbvias.

A Pegada Hídrica mede tanto nosso uso direto quanto o indireto da água. O uso indireto diz respeito à água utilizada na cadeia de produção de um produto qualquer. Você sabe quanta água foi usada para cultivar sua comida e produzir suas roupas e as coisas que você compra? Essa água é invisível. Ela nunca molharia suas mãos, mas apesar de não ser vista ou sentida, é responsável pela maior parte do seu consumo de água, ainda que você tomasse cinco banhos por dia.

“Sua pegada hídrica equivale à quantidade de água que você consome diariamente, incluindo a água utilizada para cultivar os alimentos que você come, para produzir a energia que você usa e para todos os produtos em sua vida diária – seus livros, música, casa, carro, móveis e as roupas que veste. Nosso uso de água não se limita a cozinhas, banheiros e jardins. Em uma base diária, que contribui para o consumo de grandes quantidades de água na compra de vários produtos, desde os alimentos que comemos, papel e algodão. Desta forma, afetamos indiretamente os recursos hídricos em todo o mundo”, assevera o portal waterfootprint, que disponibiliza uma calculadora para entender sua Pegada Hídrica – da qual falaremos em seguida.

Agora, o conceito de Água Virtual é a análise separada da quantidade de água que é usada em cada parte do processo. É o cálculo da enorme quantidade de água usada e que não é visualizada no produto final. Em entrevista ao The Nature Conservancy Brasil, o coordenador de Água Doce do Programa de Conservação da Mata Atlântica e das Savanas Centrais da The Nature Conservancy, Albano Henrique de Araújo, destaca a diferença entre Pegada Hídrica e Água Virtual:

A Pegada Hídrica é um indicador multidimensional e não se refere somente ao volume de água utilizado, como é o caso do ‘conteúdo de água virtual’ de um produto, mas também torna explícito onde a Pegada Hídrica está localizada, qual é a fonte da água utilizada e quando esta é utilizada. As informações adicionais são fundamentais para avaliar os impactos locais da Pegada Hídrica de um produto.

Há estudos de caso disponíveis sobre o tema. Como, por exemplo, o The Water Footprint of Modern Consumer Society (A Pegada Hídrica da Sociedade de Consumo Moderna, em tradução livre) que ilustra o uso da água ao longo das cadeias de abastecimento e produção. Entre as análises da publicação científica, calcula-se que são necessários 15 mil litros de água para produzir 1 kg de carne de bovino ou 8 mil litros de água para produzir um par de calças jeans. Por esse motivo, os vegetarianos apresentam maior consideração sustentável no cálculo da Pegada Hídrica.

A calculadora, disponível aqui, permite descobrir o que em sua vida diária mais afeta a sua pegada. É possível fazer um cálculo rápido onde é necessário preencher apenas seu país, gênero, tipo de alimentação e renda anual bruta. Ou usar a versão minuciosa da calculadora. Ambas são gratuitas. A versão ampliada perscruta detalhes de sua alimentação diária e de comportamentos cotidianos.

É importante, portanto, após essa análise, reconhecer o impacto do consumo individual nos sistemas de água doce. De acordo com o criador do conceito de Pegada Hídrica, o professor Arjen Y. Hoekstra: “As questões como a escassez de água e a poluição podem ser melhores compreendidas e tratadas, considerando a produção e cadeias de suprimento como um todo”. No entanto, não apenas a culpa sistematizada precisa ser levada em conta. A reavaliação de nossos hábitos é necessária. Claro, não é preciso uma curva extrema na mudança de comportamento, as pequenas mudanças já fazem diferença e reduzem significativamente a Pegada.

Por exemplo, 200 gramas de carne bovina equivalem à 47 chuveiros ligados durante oito minutos. Não precisa virar vegetariano, mas variar a dieta pode ser uma opção. Afinal, a mesma quantidade de carne de frango usa quatro vezes menos água. As informações são da rede Water Footprint

Em uma realidade de sede, entender a importância de fazer uso mais sustentável e equitativo da água é um dos grandes desafios instaurados em nosso tempo. Os conceitos de Pegada Hídrica e Água Virtual medem a pressão que o processo de produção de qualquer produto pode exercer sobre os recursos hídricos naturais do planeta.

Sobre o assunto, outro material que vale a leitura é a compilação de pegadas de água na Cartilha de Uso Racional da Água, editada pela Fecomercio de São Paulo em parceria com a Sabesp. Disponível aqui.

O gráfico produzido pelo Planeta Sustentável ilustra muito bem a água oculta em alguns alimentos.

Alguns fatos e números compilados do site PegadaHidrica.org

  • A produção de um quilo de carne bovina exige 15 mil litros de água (93% verde, azul 4%, 3% cinza da pegada hídrica). Há uma variação enorme em torno dessa média global. A pegada para um corte de carne depende de fatores, tais como o tipo de sistema de produção e da composição e origem da alimentação do gado. [relatório download]
  • A Pegada Hídrica de um Soja-Burgers hambúrguer de soja de 150 gramas produzido na Holanda é cerca de 160 litros. Um hambúrguer de carne do mesmo país necessita cerca de 1000 litros. [relatório download]
  • A Pegada Hídrica do consumo chinês é cerca de 1070 metros cúbicos per capita, por ano. Cerca de 10% da Pegada Hídrica chinesa cai fora da China. [relatório download]
  • Brasil, com uma pegada de 2027 metros cúbicos per capita, por ano, tem cerca de 9% da sua Pegada Hídrica total fora das fronteiras do país. [relatório download]

Com a projeção de aumento da população para 8 bilhões de pessoas em 2025, é estimado que a demanda de água potável para agricultura seja dobrada até lá. Ou seja: é preciso vincular à nossa linha de raciocínio sustentável a importância da instalação de métricas avaliadoras para o nosso consumo indireto de água. Não apenas pela projeção, mas pelo imediatismo de que hoje um terço da população mundial não tem acesso à água potável. É determinante para nosso planeta que possamos enxergar a água que não vemos, de fato, indo embora pelo ralo.