Efeitos do aquecimento global serão desiguais ao redor do planeta

Quelccaya, no Peru (Foto: Edubucher/WikiCommons)

Os efeitos do aquecimento global não acontecerão de maneira uniforme em todo o planeta. A informação é resultado de um estudo publicado recentemente pela revista Nature, que mostra algumas perspectivas de como realmente seria o planeta aquecido 2°C acima da era pré-industrial e quais regiões seriam mais atingidas. Entre elas, estão os países mediterrâneos, Brasil e Estados Unidos, onde o aquecimento global em 2°C pode resultar em um aumento das temperaturas regionais em mais de 3°C, além do aumento da incidência de chuvas. O estudo destaca ainda que a região que mais sentirá o impacto será o Ártico, onde as temperaturas noturnas podem subir em até 6°C.

Até agora, a temperatura no planeta já aumentou em média 1°C, e a iniquidade natural desse calor é nítida na região do Ártico. Por lá, a elevação da temperatura já chega aos 2°C – nível que a região mediterrânea poderá atingir com apenas mais quatro décimos de aquecimento. A culpa do desequilíbrio resultante do aquecimento, conforme aponta a matéria do The Guardian, tem muito a ver com os oceanos. Fatores locais, como, por exemplo, a perda do efeito albedo que o descongelamento do Ártico causa.