Copenhague investe em semáforos que priorizam bicicletas e ônibus

Recentemente divulgamos que a cidade de Aarhus, na Dinamarca, está testando uma nova tecnologia para aumentar a segurança dos ciclistas nas ruas. A etiqueta RFID (sigla em inglês para “identificação por radiofrequência”), espécie de chip instalado nas bicicletas, aciona os semáforos para que fechem para os carros quando ciclistas se aproximam de um cruzamento. Copenhague, conhecida por ser a cidade mais ciclável do mundo, não vai ficar para trás nessa. A prefeitura da capital está investindo em melhorias nos semáforos da cidade, de modo a priorizar ainda mais os ciclistas e os usuários de transporte coletivo.

(Foto: Gunnar Bothner-By/Flickr)

A prefeitura da capital dinamarquesa anunciou que os semáforos em todos os cruzamentos da região central serão capazes de identificar o tipo do veículo que se aproxima. Dessa maneira, o tráfego poderá ser organizado de maneira mais eficiente. Dando sempre a preferência para a bicicleta e para o transporte coletivo. Segundo o blog Outra Cidade, o tempo de viagem dos ciclistas pode ser reduzido em 10%. Um ganho importante, mas menor do que o estimado para o usuário de transporte público, que poderia economizar até 20% do seu tempo de deslocamento.

Para os ônibus, o sistema será um pouco diferente. Os motoristas devem informar os trajetos e quantos passageiros estão levando. Os dados serão retransmitidos para os semáforos que estiverem no caminho, que poderão, eventualmente, prolongar o tempo de luz verde para o coletivo não precisar parar.

Serão 380 semáforos instalados. Com o novo sistema, grupos de ciclistas que estiverem andando a 20 km/h vão encontrar todos os semáforos pegarão todos os semáforos abertos na ida e na volta do trabalho. Assim, andar mais rápido não vai compensar, e quem pedala devagar vai ganhar mais tempo por conta do melhor fluxo. Espera-se que o tempo de deslocamento diminua em 10% para os ciclistas e de 5% a 20% para quem vai de ônibus.

(Fontes: OutraCidade,  CityLab)