Agência da ONU lança primeira comunidade online para construção de cidades inteligentes

A administração eficiente dos recursos depende da construção de cidades inteligentes e sustentáveis (Foto: Skitterphoto)

A ITU, agência especializada da ONU para tecnologias de informação e comunicação, lançou, neste mês, a primeira comunidade online para a construção de cidades inteligentes e sustentáveis. A World Smart City foi desenvolvida para auxiliar os gestores interessados a desenvolver soluções urbanas inteligentes para as cidades.

A plataforma reúne e ajuda a visualizar soluções já implementadas em outras cidades, além de ser um espaço de troca de experiências e incentivo ao debate sobre inovações urbanas. Na medida em que o funciona como um repositório para discussões aprofundadas, a nova comunidade vai oferecer os subsídios necessários para identificar os principais pontos fracos que impedem ou atrasam o desenvolvimento das cidades em quatro áreas-chave: mobilidade, água, energia e cibersegurança.

Houlin Zhao, Secretário-geral da ITU, uma das organizações responsáveis pela plataforma, explicou que o desenvolvimento de cidades inteligentes sustentáveis é uma questão política fundamental para administrações em todo o mundo, bem como para as agências da ONU: “O reconhecimento do potencial das cidades inteligentes vem em paralelo com reconhecimento de que construir essa inteligência em cidades já existentes, ou desenvolver uma do zero, é uma tarefa complexa, que exige maior cooperação e decisões integradas por parte dos atores envolvidos”.

Até 2050, estima-se que 66% da população mundial estará vivendo em áreas urbanas. As lideranças municipais, portanto, têm pela frente um desafio de grandes proporções: suprir as necessidades desse crescente contingente populacional por recursos básicos como alimentação, água potável e energia e, ao mesmo tempo, assegurar a sustentabilidade econômica, social e ambiental das áreas urbanas.

Atender a essa demanda requer melhorias urgentes e significativas. Algumas delas podem ser feitas a partir da interconexão entre setores que, via de rega, operam separadamente – água, energia, transportes, saneamento, gestão de resíduos, segurança, monitoramento ambiental, resiliência e inteligência climática, entre outros. Neste ponto, entra o conceito de cidades inteligentes – capazes de integrar física e virtualmente a administração de diferentes sistemas, visando à eficiência da operação e, consequentemente, gerando maior qualidade de vida das pessoas.

A World Smart City é uma das iniciativas do primeiro Fórum Mundial de Cidades Inteligentes, que acontecerá em julho, em Singapura. O encontro vai explorar de que formas as cidades podem agir para se tornarem mais inteligentes e sustentáveis, quais são os desafios mais urgentes e as ferramentas que já estão disponíveis para que novas soluções urbanas sejam implementadas.

(Fonte: ITU)