Mobilidade em 1 Instante: não olhe para frente

(Foto: Pryere/Flickr)

Não importa quantas pessoas estejam ao redor – é sempre muita gente e ninguém ao mesmo tempo. Conforme avanço, sou capaz de ouvir os carros que correm pela avenida em frente. O silêncio, agora, subsiste apenas em minha cabeça.

Há, em todas as esquinas, resquícios do que foi nossa história. Não olho para frente porque não há nada lá – a vida está no entorno, em toda parte do espaço que não costumamos olhar. Atento para os desenhos das calçadas. Para as formas assumidas pelas sombras de tantos outros. Disformes, desconexas, inexistentes. Invocam imagens de um rosto familiar, de uma felicidade breve, de segundos rápidos demais.

A cidade nos envolve e, embora jamais vejamos um ao outro, nossos olhos se encontram. Em silêncio e ruído. Num momento que só acontece uma vez. Nos segundos que antecedem o movimento das pessoas ao redor, que se mexem em dança e mudam toda a configuração da multidão. Uma linha invisível une nossos olhares, mas o que eles enxergam é difícil dizer.

Sozinhas, as pessoas à minha volta são vultos – borrões de si mesmas. Juntas, são apenas desvios – e só um deles poderia alterar meu caminho. Meus olhos tão verdes quanto jamais alguém poderia ver. Em cada passo que deixo na rua, deixo também um pedaço de mim. Sem nunca, jamais, olhar para frente.

 

***

A série Mobilidade em 1 Instante, do TheCityFixBrasil, é movida pela fotografia. Trazemos imagens que nos inspiram e que permitem uma reflexão sobre a mobilidade e a vida nas cidades. Se você quiser participar, com um texto ou uma fotografia, será muito bem-vindo a bordo! Escreva para nós: cidades@wri.org