Pequim adota medidas sustentáveis em troca de um dia de céu azul

A cor do céu é azul por um conjunto de fatores como, por exemplo, a refração e dispersão da luz solar. Oposto a isso, alguns fatores terrenos têm alterado a aparência saudável e azulada do céu. Excesso de aerossóis na atmosfera – moléculas de poeira, fuligem e CO2 emitidos por veículos, responsáveis por entre 25% e 75% das emissões, são alguns dos culpados. Contudo, a situação é reversível. Pequim mostrou  isso recentemente. Ao menos por um dia.

Das crianças ao caráter econômico

No último ano, a poluição em Pequim atingiu níveis extremos. Chegou a ultrapassar 20 vezes o limite recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). É comum ver residentes e turistas olhando aplicativos em seus celulares para verificar a qualidade do ar em tempo real. Até porque os 21 milhões de habitantes da capital chinesa sofrem com a qualidade do ar em todas as áreas: da saúde das crianças até a influência econômica de manter estrangeiros que trabalham e moram na cidade.

Anualmente são realizadas nas empresas pesquisas sobre o clima. Em 2014, 47% das respostas foram afirmativas quando responderam a pergunta: “Você ou sua organização teve quaisquer dificuldades em recrutar ou manter executivos para trabalhar na China por causa da falta de qualidade do ar?”. A mesma pesquisa realizada em 2008 teve 19% de respostas afirmativas para a mesma pergunta.

O momento vivido em Pequim é chamado por alguns habitantes e parte da imprensa de “airpocalypse”.

Aniversário de guerra: céu azul

O imaginário da população de Pequim é alimentado cada vez em que vêem o céu azul. A oportunidade é aproveitada em larga escala, como aconteceu nas Olímpiadas de 2008, alguns encontros políticos e outras efemérides locais. O mais recente céu azul foi o do dia 3 de setembro, dia do 70º aniversário da vitória na Guerra de Resistência do Povo Chinês contra a Agressão Japonesa na Segunda Guerra Mundial.

Para que isso pudesse acontecer as autoridades chinesas adotaram medidas sustentáveis. O evento de aniversário foi intitulado Military Parade Blue (“Parada Militar Azul”, em tradução livre). Durante as duas semanas que o antecederam, aproximadamente cinco milhões de carros realizaram rodízio e centenas de fábricas foram fechadas temporariamente. No dia do evento, 40 mil lugares em construção em Pequim e arredores foram proibidos de abrir. As mudanças estavam lá! Monumentos ficaram visíveis, áreas verdes passaram a ser notadas e o céu, sim, azul!

No dia do evento, os níveis de partículas em suspensão caíram 73,2% em relação ao mesmo dia do ano passado (o feriado foi instituído em agosto deste ano) e o índice de gravidade da poluição do ar caiu para 17 de 500, o que significa qualidade de ar muito saudável.

Depois passou. No dia seguinte, o índice de qualidade do ar já alcançava 160, nível em que as pessoas podem sentir alguns efeitos adversos para a saúde, de acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos.

“Foi como se alguém tivesse desligado um interruptor”, diz a frase de abertura desta reportagem do Los Angeles Times sobre a mudança abrupta do azul temporário para o cinza da poluição.

Abaixo, algumas das fotos registradas pelo fotógrafo Steven J que mostram outras ocasiões em que o céu de Pequim ficou azul para eventos e a diferença para os dias considerados “normais”.