Sete passos para construir um plano de mobilidade urbana

(Foto: Mariana Gil/EMBARQ Brasil)

Um novo rumo para milhares de cidades brasileiras. Assim podemos falar da Política Nacional de Mobilidade Urbana, sancionada em 2012 no intuito de impulsionar o planejamento para o transporte sustentável nas cidades. Com foco no deslocamento ativo e coletivo, em vez do individual motorizado, a lei estabelece que municípios acima de 20 mil habitantes elaborem planos de mobilidade urbana. Isso representa mais de três mil cidades.

Mas o que significa planejar a mobilidade sustentável nas cidades?

Certamente é centrar a lógica urbana em torno do fator humano, para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Para apoiar as cidades brasileiras nesse processo, o WRI Brasil | EMBARQ Brasil (produtor deste blog) lança hoje “Sete Passos – Como construir um plano de mobilidade urbana”, uma metodologia completa para a criação do plano de mobilidade urbana.

De forma didática e repleta de fotografias, a publicação orienta desde as primeiras mobilizações até as providências necessárias para a implementação e a revisão periódica do plano.  

“Queremos sensibilizar as prefeituras para desenvolver um processo abrangente de reflexão sobre a cidade que se quer. Só a partir desta visão de futuro, baseada na equidade de acesso aos transportes coletivos, aos modos não motorizados e no uso do espaço público é que podemos dimensionar o trabalho, estabelecer metas e traçar um plano de mobilidade efetivo”, enfatiza Nívea Oppermann, Diretora de Desenvolvimento Urbano da EMBARQ Brasil, coordenadora da publicação.

O documento também traz boas práticas brasileiras, como é o caso da cidade catarinense de Joinville. Com a metodologia e o apoio técnico do WRI Brasil | EMBARQ  Brasil, o município concluiu o PlanMob em abril deste ano, como mostramos neste infográfico. Uma das metas, por exemplo, é garantir que em no máximo 15 minutos de caminhada, a partir de qualquer ponto da cidade, o pedestre tenha acesso a alguma área pública de lazer e recreação; outra é a implantação de 730km de vias cicláveis até o fim deste ano.

A metodologia dos sete passos também foi adotada na principal publicação do Ministério das Cidades, o Caderno de Referência para Elaboração de Plano de Mobilidade Urbana, e nos cursos presencial e à distância do governo federal para a capacitação dos municípios brasileiros. São os sete passos:

1. Preparação

2. Definição do escopo

3. Procedimentos gerenciais

4. Elaboração

5. Aprovação

6. Implementação

7. Avaliação e revisão

Faça download da publicação:

Para conhecer mais publicações do WRI Brasil | EMBARQ Brasil, clique aqui.

Planos de mobilidade serão debatidos em Congresso Internacional

A publicação é lançada às vésperas do Congresso Internacional Cidades & Transportes, realizado pelo WRI Brasil | EMBARQ Brasil dias 10 e 11 de setembro deste ano. No dia 10, uma sessão vai reunir, lado a lado, o Secretário Nacional de Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, Dario Lopes; a Diretora do Departamento de Transporte de Portland (EUA), Leah Treat; o Prefeito de Joinville, Udo Döhler; o Coordenador do PLAMUS – Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis, Guilherme Medeiros; e a diretora de Projetos & Operações da EMBARQ Brasil, Daniela Facchini. A programação inclui ainda temas como governança, a nova economia do clima, cidades acessíveis, dados abertos, entre outros. Inscrições estão abertas!