Você está aqui: a experiência humana em mapas

(Foto: Bernd Thaller/Flickr)

Contar histórias é uma forma de registrar nossa experiência no planeta. Histórias são fragmentos da realidade, relatos que mostram quem somos e como vivemos, como pessoas que diariamente se relacionam entre si e com o ambiente ao seu redor.

Mas existem diversas formas de contar histórias.

O projeto You Are Here escolheu fazer isso por meio de mapas. Desde abril de 2014, durante um ano o grupo de pesquisadores do MIT que idealizou o projeto alimentou a plataforma diariamente a fim de atingir uma meta ambiciosa: 100 mapas de 100 cidades.

(Imagem: youarehere.cc/Reprodução)

Cada mapa funciona como um compilado de milhares de micro-histórias, configurando um traçado das narrativas da experiência humana nas cidades. A ideia é proporcionar uma troca entre as diferentes áreas contempladas, disponibilizando, por meio dos mapas, múltiplas informações sobre a vida nas cidades. Onde falta vegetação, onde ocorrem mais acidentes, uso de sistemas bikeshare, eficiência do trânsito, tempo de deslocamento entre os bairros, entre tantos outros aspectos que fazem parte do dia a dia nos centros urbanos.

Mapa mostra o tempo do deslocamento entre os bairros em Nov York (Imagem: youarehere.cc/Reprodução)

Mapas são uma linguagem à parte. Podem carregar informações de múltiplos níveis em formatos tão diferentes entre si quanto a própria quantidade de informações disponíveis. Assim, os mapas reunidos na plataforma são uma ferramenta para que as pessoas possam entender melhor suas cidades – um mecanismo útil de que tanto moradores quanto gestores podem ser valer no dia a dia para resolver problemas urbanos e tomar decisões a fim de fazer de suas cidades lugares mais seguros, sustentáveis e abertos ao convívio.