Google: mapeando como as cidades vivem e respiram

Denver, Colorado (Foto: Penn State University Libraries/Flickr)

Usar a tecnologia para resolver problemas urbanos, facilitar tarefas cotidianas e melhorar a vida das pessoas é uma tendência que se firma, e com cada vez mais força, em diversas partes do mundo. Análise de dados, Internet das Coisas, projetos que se valem das inovações tecnológicas visando à sustentabilidade, novos canais de comunicação entre pessoas e gestores municipais – não faltam exemplos de como a tecnologia está aí para transformar as relações e a vida nas cidades.

O Google certamente não ficaria de fora.

Em junho deste ano, anunciou o lançamento da Sidewalk Labs e, agora, firmou uma nova parceria que deve transformar a maneira como pensamos – e enxergamos – a qualidade do ar nas cidades. O Google Earth Outreach e a Aclima, empresa de San Francisco que trabalha com o desenvolvimento de tecnologias ambientais, uniram expertises para entender melhor a qualidade do ar e equiparam carros do Google Street View com sensores capazes de monitorar a concentração de poluentes atmosféricos.

Veículo equipado com o sensor que mede as partículas poluentes no ar (Foto: Divulgalção)

A experiência está em fase de testes na cidade de Denver, no Colorado, onde três carros do Google foram equipados com os sensores e mediram as concentrações de dióxido de nitrogênio, ozônio, metano e monóxido e dióxido de carbono, entre outras substâncias poluentes que podem afetar tanto a saúde das pessoas quanto as mudanças no clima. Os veículos somaram 750 horas dirigindo, durante as quais reuniram 150 milhões de pontos de dados que foram correlacionados com as informações da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA).

Muitas variáveis afetam a qualidade do ar – praticamente tudo desde nossas escolhas de transporte e consumo de energia até a quantidade de espaços verdes na cidade e as condições de clima. Entender as relações complexas que se estabelecem entre esses elementos é fundamental para gerenciar e melhorar a qualidade do ar. Os testes feitos em Denver vão nos preparar para ampliar o sistema e levá-lo a qualquer lugar onde os carros do Google Street View possam dirigir. É um potencial ilimitado para ajudar a melhorar a saúde e a resiliência em cidades no mundo inteiro.

Davida Herzl,  CEO e cofundadora da Aclima

A partir das medições, será possível entender como os poluentes atmosféricos estão distribuídos nas áreas urbanas e como se deslocam e, posteriormente, gerar mapas de alta resolução da qualidade do ar nas cidades. Na vida cotidiana, nem sempre é fácil perceber onde e como a poluição atmosférica se manifesta – tornar esse tipo de informação visível pode mudar os paradigmas na conscientização ambiental.

Poder enxergar a qualidade do ar ao nosso redor em mapas nos abre oportunidades que nunca pensamos que teríamos.

Dan Costa, diretor do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da EPA