Cidades & Transportes: Diretora de Transporte de Portland apresentará ações que salvam vidas

Leah Treat, Diretora do Departamento de Transporte de Portland (EUA), será uma das palestrantes do painel Plano de Mobilidade Urbana, no Congresso Internacional Cidades & Transportes. O evento acontecerá nos dias 10 e 11 de setembro, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. Treat foi convidada para apresentar o Plano de Mobilidade de Portland, bem como sua experiência anterior no Departamento de Transporte de Chicago. A diretora pedala diariamente para o trabalho e no Twitter compartilha detalhes sobre sua rotina como ciclista e de responsável pela mobilidade de Portland. No congresso, a especialista dividirá o palco com o Secretário Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, Dario Lopes; também com o Prefeito de Joinville, Udo Döhler; e o Coordenador do Departamento Técnico da SC Par e do PLAMUS (Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis), Guilherme Medeiros; sob a moderação de Rômulo Orrico, Professor do COPPE-UFRJ.

(Foto: Felicity J. Mackay/PBOT)

Treat acredita que conversas sobre transportes devem começar por avaliar nossos valores e questionar o tipo de cidade que queremos para nós e nossos filhos. Quando assumiu a direção do Departamento de Transportes de Portland, em 2013, notou que no ano anterior a taxa de mortes em acidentes de trânsito havia sido duas vezes maior que a taxa de homicídios. Decidiu, portanto, incorporar em Portland o programa sueco Visão Zero, que possui a filosofia de que nenhuma morte no trânsito é tolerável.

Em Nova York, por exemplo, em cinco anos de programa Visão Zero, o resultado de acidentes de trânsito envolvendo pedestres caiu 50%. Treat concorda com as diretrizes do programa e assevera que “cada morte nas estradas é uma falha do governo e da comunidade”. E uma falha que não pode ser deixada de lado. Desde então, o Departamento de Transportes de Portland fez da segurança viária sua principal prioridade, tendo como pilares básicos as mudanças na infraestrutura viária, tecnologia de prevenção de acidentes, educação e fiscalização. A especialista afirma que a segurança viária pode impactar até mesmo a economia da cidade: em Portland, acidentes de trânsito custaram US$150 milhões (R$ 516 mi) em 2013.

Outra medida defendida pela especialista é o conceito de Road Diets, termo formulado a partir de um estudo realizado no Centro de Pesquisa de Segurança Viária da Universidade da Carolina do Norte e que diz respeito a uma reconfiguração do espaço das vias. Estradas de quatro pistas (duas em cada sentido) transformam-se em estradas de três pistas – uma em cada sentido, com uma área comum entre as duas. O conceito surgiu como resposta a uma prática comum de expansão das vias urbanas quando o tráfego atinge certo ponto. Esse pensamento leva em conta que quanto maiores as vias, melhor flui o trânsito. Entretanto, novas vias atraem mais carros, e fora dos horários de pico os vastos espaços ficam desertos. Na visão de Treat, esses espaços poderiam ser aproveitados para construção de ciclovias, por exemplo.

Entre 1997 e 2003 foram feitas três Road Diets em Portland. No primeiro ano de gestão de Leah, duas outras estradas foram reconfiguradas (as Avenidas SE Division between 60th-80th avenues e NE Glisan between 60th-80th avenues). Um estudo dos últimos vinte anos de acidentes em todas as Road Diets de Portland mostra que as reconfigurações das estradas diminuíram o número de acidentes em cerca de 40%.

Antes de ser nomeada Diretora do Departamento de Transportes de Portland, Leah atuou como chefe de equipe no Departamento de Transportes de Chicago. Entre suas realizações, destacam-se a adição de 48 km de ciclovia à cidade e o fechamento de um contrato para um sistema de bike-sharing que forneceu 300 estações de retirada e mais de três mil bicicletas para a cidade.

Trabalhou também por 12 anos como vice-diretora do Departamento de Transportes de Columbia, onde ajudou a angariar um financiamento isento de impostos para a construção da 11th Street Bridge. O empréstimo federal para a construção da ponte poupou milhões de dólares que os habitantes locais deveriam pagar em impostos.

Em Portland, o número de crianças que vão de bicicleta para a escola aumentou em 25%. Leah Treat incentiva e dá o exemplo pedalando com seus filhos para o colégio