Friday Fun: coletivo de crianças está transformando um bairro em São Paulo

(Foto: Transform+Ação/Youtube)

A ação é a premissa para transformar a realidade urbana, principalmente em prol do bem estar coletivo. Quem está mostrando isso é um grupo de pouca idade, mas com muita vontade de melhorar o bairro onde vive.

É o projeto Transform+ação, que reúne alunos de 11 a 15 anos da Escola Santi em São Paulo. Eles idealizam, desenvolvem e tornam realidade uma série de projetos para tornar o bairro Paraíso um lugar cada vez melhor pra viver.

No ano passado, a ideia dos pequenos foi mapear os problemas do bairro, onde identificaram calçadas esburacadas, lixo nas ruas e especialmente o trânsito intenso. Também conversaram com comerciantes, moradores e frequentadores e constataram que nem mesmo locais conheciam bem o próprio bairro – por isso, criaram um mapa do bairro para melhorar a percepção local e também ajudar a guiar os turistas da Copa do Mundo.

Tudo isso através da plataforma de financiamento coletivo Catarse.

A nova ideia do Transform+ação está diretamente relacionada à mobilidade urbana. Com a importância da bicicleta para resolver o trânsito caótico em mente, neste ano o projeto fez uma pesquisa com pais de alunos da escola para descobrir o que eles pensavam sobre isso – eram a favor, mas não tinham hábito de pedalar, descobriram. A solução, então, foi estimular o uso da magrela através da instalação de paraciclos no bairro! O grupo conversou com comerciantes e moradores e descobriu alguns dos melhores locais para instalá-los e conseguiu arrecadar os R$ 2265 necessários para o sucesso da campanha Paraíso anda de Bike.

O mais legal é que eles pensaram em tudo para a ideia virar ação – com financiamento não apenas no Catarse, mas também numa caixinha na secretaria da escola para doações de pais, docentes e comunidade escolar.

Os bicicletários escolhidos foram modelos compostos por duas barras de ferro, fixados nas paredes dos estabelecimentos e customizadas pelo Transform+ação. Tudo para não interromper passagem de pedestres e garantir um espaço para as bikes.

Vale lembrar que escolas como a Santi, em São Paulo, são grandes exemplos em como levar não somente o conhecimento científico, mas em formar cidadãos conscientes e ativos nos processos de transformação urbana – a chave para cidades mais inclusivas, igualitárias, com qualidade de vida. Acompanhe o Transform+Ação pelo Facebook.

Você conhece alguma iniciativa parecida? Conte pra gente.

Assista ao vídeo da ação: