Sim, é possível aumentar o engajamento dos cidadãos nas decisões das cidades!

(Foto: Preferência à Vida/Flickr)

Carolyn Lukensmeyer, defensora da democracia deliberativa que mobilizou mais de 165 mil pessoas através de processos participativos, estará no Brasil em setembro para compartilhar suas experiências no Congresso Internacional Cidades & Transportes.

Imagine uma cidade em que os moradores tivessem reuniões periódicas para discutir os problemas locais. Em que as opiniões da população fossem incorporadas pelo poder público. Um local em que a vontade dos cidadãos se transformasse em ação política.  Carolyn Lukensmeyer desenvolve iniciativas inovadoras para engajar os cidadãos nas decisões das cidades há mais de uma década e acredita que isso é perfeitamente possível.

A participação social é fundamental para o fortalecimento da democracia. A criação ou a manutenção de espaços de participação aumenta as chances de o poder público ouvir a opinião da população sobre determinados assuntos, sobre a elaboração de políticas ou até mesmo sobre a alocação de recursos. A comunidade precisa ser representada em sua totalidade para entender o que, coletivamente, queremos ver acontecer na nossa cidade.

“Quando  uma oportunidade autêntica de engajamento na tomada de decisão é dada aos cidadãos,– quando a vontade política está alinhada a vontade das pessoas – as decisões têm maior poder de permanência e a confiança do público nas instituições aumenta”, afirma Carolyn  Lukensmeyer.

Conselhos, conferências, ouvidorias, audiências, consultas públicas, mesas de diálogo e negociação são alguns modelos de espaços de participação.  Estas ferramentas fortalecem o diálogo da sociedade com o poder público e aumentam as formas de controle social. As emergentes formas de participação digital assim como o clamor das ruas visto nos últimos anos apontam para a necessidade de ampliação e qualificação dos mecanismos já existentes, bem como a criação de novos processos.

Mas ainda falta infraestrutura e vontade política para ampliar as formas de participação nas tomadas de decisão de grande parte das cidades que dificultam a implementação de processos para a efetiva participação. Os líderes locais, muitas vezes, não possuem todas as informações para tomar esta decisão ou estão sufocados por temores de que isso será prejudicial. Esta combinação de medo com falta de informação paralisa qualquer ação e os gestores preferem não adotar qualquer forma de governança.  Para romper este tabu com informações e experiências bem sucedidas, Carolyn irá participar da sessão “Governança e Participação Social”, no Cenário Global do Congresso Internacional Cidades & Transportes, que abordará a transparência na administração e participação direta da população na tomada de decisão.


O Congresso Internacional Cidades & Transportes irá acontecer entre os dias 10 e 11 de setembro no Rio de Janeiro e tratará de temas como resiliência, governança e mobilidade. Para mais informações e inscrições, acesse cidadesetransportes.org.


Carolyn J. Lukensmeyer é a Diretora Executiva do Instituto Nacional de Discurso Civil, uma organização que atua para fortalecer a democracia participativa. Carolyn também é fundadora da AmericaSpeaks, que já implementou formas inovadores de inclusão dos cidadãos no debate de uma série de política pública, incluindo a reforma do sistema de saúde na Califórnia e no Maine, a recuperação de Nova Orleans após o furacão Katrina, a construção do Ground Zero em Nova York e o déficit do orçamento federal dos EUA. Carolyn é de “Bringing citizen voices to the table: a guide for public manager” que fornece estratégias e melhores práticas para engajar de forma autêntica os cidadãos.