Rede noturna atende 1,55 milhão de pessoas em São Paulo

Desde o final de fevereiro, a Rede da Madrugada já atendeu 1,55 milhão de usuários. (Foto: Gustavo Gomes/Flickr)

A cidade de São Paulo não para durante a madrugada, horário que, enquanto uns dormem, muitas pessoas estão trabalhando em estabelecimentos e serviços 24 horas. Até fevereiro deste ano, o transporte coletivo não seguia a dinâmica dessas pessoas, lacuna que foi preenchida com a Rede da Madrugada. Há quase três meses em operação, o serviço já atendeu 1,55 milhão de pessoas, conforme balanço divulgado pela prefeitura.

Antes do serviço, depender do coletivo pra voltar pra casa significa esperar o reinício do transporte público. As 15 mil viagens então realizadas cresceram 50%. Já a demanda também subiu especialmente aos sábados, quando há maior movimento, de 25 mil para 36,6 mil usuários, um crescimento de 46%. Com o dado, também podemos sugerir que, com isso, menos pessoas bebam e dirijam na saída de bares e casas noturnas, aumentando a segurança no trânsito. Confira o infográfico:

(Divulgação SPTrans)

Num modelo de operação inédito do Brasil, o sistema é gerenciado pelo Centro de Controle Operacional do Noturno (CCO), que conta com 27 funcionários. Eles são responsáveis por liberar, por exemplo, diretamente no painel do motorista, as 2.663 partidas realizadas por noite a fim de que sejam cumpridas no horário correto.

A Rede da Madrugada conta com 151 linhas especiais, da meia noite às quatro da manhã. Nos eixos estruturantes da capital, funcionam com 15 minutos de intervalo; dentro dos bairros, com 30 minutos.