3 estratégias de mobilidade corporativa trazidas no seminário Uso do Automóvel na Cidade

Foto: Fernando Stankuns/Flickr

A cada ano, perde-se em média 15 dias no trânsito, equivalente a metade do período de férias a que um trabalhador tem direito, por exemplo. Se considerarmos que 50% dos deslocamentos são feitos ao local de trabalho, um dos agravantes dos congestionamentos é que a maioria das pessoas realiza a mesma jornada de trabalho. Qual a solução para isso? O engenheiro de transportes Guillermo Petzhold, da EMBARQ Brasil (produtora deste blog), propôs uma no Seminário Internacional Uso do Automóvel na Cidade, realizado pela Prefeitura de Curitiba na última semana.

Para mais de 300 pessoas, o especialista apresentou estratégias de gestão da demanda de viagens (GVD), cujo objetivo é racionalizar o uso do automóvel nos deslocamentos ao trabalho.

“Embora as empresas não possam determinar como os seus funcionários vão ao trabalho elas possuem enorme influência na sua escolha. Por exemplo, ao prover vagas de estacionamento gratuitas ou auxílio combustível, consequentemente, elas estimulam o uso do automóvel” – explicou.

Estratégias GDV beneficiam os funcionários, a cidade e a própria organização em termos econômicos. Afinal, metade da demanda diária de viagens é para ir ao trabalho. Esses deslocamentos, quando individuais e motorizados, acarretam os tão frequentes congestionamentos nas nossas cidades. Guillermo explicou três estratégias possíveis de ser implantadas nas empresas:

1. CARONA

É interessante em cidades com alta densidade e em empresas com um grande número de funcionários, pois será mais provável as pessoas morem próximas uma das outras. O mesmo vale para empresas que estão mais afastadas do centro urbano e exigem longos deslocamento e que normalmente também não possuem acesso ao transporte coletivo. É claro que para isso é necessário não somente um banco de dados com quem gostaria de uma carona, mas também com quem estaria disposto a dá-la e sob quais condições (quantas quadras estaria disposto a desviar a rota, quanto estaria disposto a caminhar até o ponto de encontro…).

Onde implementar:

– Regiões com alta densidade

– Grande número de funcionários

– Longos deslocamentos

– Sem acesso ao transporte coletivo

 

2. CARSHARING

O carsharing serve mais como medida de suporte. Possibilitando a pessoa que não vai de automóvel ao trabalho ter como se deslocar com facilidade durante o seu turno. Para a empresa, além das vagas de estacionamento, também há a possibilidade de redução de custos com ressarcimentos de taxi e estacionamento. Possibilita ao funcionário se deslocar rapidamente durante o horário de trabalho quando não está com o seu automóvel. Entre os benefícios, estão a redução da demanda por vagas de estacionamento, redução de custos gerais em táxi e estacionamento.

3. ESCALONAMENTO DE HORÁRIOS

Pode ser implementado em empresas que não necessitam que todos iniciem o turno no mesmo horário e, entre os benefícios, reduz o tempo de deslocamento, e aumenta flexibilidade de horários para outras atividades. Com isso, aumenta-se a produtividade dos funcionários, aumenta a atratividade da empresa, e estende o horário que a empresa opera.

 

Outras estratégias, dentro de um conjunto mais estruturado de mobilidade corporativa, também existem e podem ser aliadas para melhorar o deslocamento dos colaboradores. “ao implementar ônibus fretados com wifi, ar condicionado, água proporcionamos uma inteira nova experiência de deslocamento ao trabalho. Promover bicicletas, incentivar a carona, disponibilizar carros compartilhados e implementar mudanças na jornada de trabalho como o horário escalonado e teletrabalho são outras alternativas. E o marketing como tudo também é essencial, afinal quem não gosta de ter seus esforços recompensados?”, afirmou Guillermo, concluindo que “embora as empresas não possam determinar como os seus funcionários vão ao trabalho, elas possuem enorme influência na sua escolha. Ao prover vagas de estacionamento gratuitas ou auxílio combustível, consequentemente, elas estimulam o uso do automóvel”.

Acesse aqui a apresentação feita pelo especialista da EMBARQ Brasil.

Saiba mais sobre a Gestão da Demanda de Viagens.