Cinco ecobairros mostram a conexão entre qualidade de vida e sustentabilidade

Em janeiro deste ano, Copenhague inaugurou o primeiro bairro do mundo adaptado às mudanças climáticas. Reestruturado a partir da construção de estruturas verdes que pudessem escoar a água da chuva, St. Kjeld hoje está preparado para o caso de novas inundações. A transformação do bairro na capital dinamarquesa mostra como as mudanças climáticas e a sustentabilidade são uma oportunidade para construir cidades mais verdes. Estamos falando de uma iniciativa que pode ser – e felizmente já vem sendo – replicada em outras partes do mundo: em Londres, Malmö, Estocolmo, Freiburg e Adelaide, cinco ecobairros estão aplicando soluções de sustentabilidade para aumentar a qualidade de vida das pessoas.

  • BedZED – Londres, Reino Unido

Preservar os recursos e possibilidar um estilo de vida mais saudável e sustentável são alguns dos princípios do BedZED (Beddington Zero Energy Development), inaugurado em 2002. O conjunto habitacional localizado no sul de Londres foi planejado para ser uma comunidade de emissão zero – e é o primeiro bairro a atingir essa meta. Em comparação à média nacional, o BedZED registra a redução de 58% no consumo de água, além de realizar a reciclagem de 60% dos resíduos e o consumo de alimentos orgânicos em 86% das casas.

(Foto: Tom Chance/Flickr)

  • Western Harbour – Malmö, Suécia

Também chamado de Cidade do Amanhã, o Western Harbour abriga em torno de quatro mil pessoas. O bairro é o resultado da revitalização de uma área contaminada na cidade de Malmo, na Suécia, que, depois de totalmente renovada, tornou-se um exemplo de sustentabilidade. Um sistema de armazenamento de energia térmica armazena a água coletada durante o verão 70 metros abaixo da superfície e, a partir da energia eólica, canaliza-a para aquecer as casas no inverno. A água gelada é posteriormente reutilizada para refrescar os prédios no verão. Além disso, outras medidas para tornar o bairro um exemplo do uso de energia renovável incluíram a instalação de painéis solares e células fotovoltaicas.

(Foto: heureux/Flickr)

  • Hammarby Sjöstad – Estocolmo, Suécia

O bairro de Hammarby Sjöstad mostra como metas ambientais, mesmo que audaciosas, podem ser atingidas a partir de um bom planejamento e de investimentos em infraestrutura para possibilitar um estilo de vida – e de moradia – mais eco-friendly. Entre outros princípios de sustentabilidade aplicados pelo bairro, podem ser citados o programa de compartilhamento de carros, os espaços verdes que conectam a área residencial a uma reserva natural próxima e os painéis solares instalados na maior parte dos blocos. Além disso, o esgoto dos apartamentos é convertido em energia térmica e biogás que serão utilizados no aquecimento das instalações e nos veículos do transporte coletivo.

(Foto: Hans Kylberg/Flickr)

  • Vauban – Freiburg, Alemanha

Com 220 mil habitantes, 500 quilômetros de ciclovias e 1.800 painéis solares, Freiburg já é considerada um exemplo de cidade sustentável. Vauban, que abriga cerca de cinco mil pessoas, realça ainda mais esse status. As construções do bairro possuem placas solares instaladas nos telhados, o que supre em torno de 20% da demanda de eletricidade da população local. Outro destaque do bairro é a tranquilidade, já que foi pensado para desestimular o uso do carro – a estimativa é de que existam apenas 220 vagas para cada mil moradores.

(Foto: Lieven SOETE/Flickr)

  • Christie Walk – Adelaide, Austrália

A comunidade de Christie Walk, na cidade de Adelaide, é formada por 27 unidades residenciais, construídas em uma área de dois mil metros quadrados e planejadas para consumir menos água e energia. Uso da energia solar, telhados verdes, sistemas de captação de água da chuva, compostagem e hortas comunitárias compõem a infraestrutura do bairro, que mostra como o investimento na construção sustentável pode beneficiar um bairro, tornando-o seguro, saudável e melhor para as pessoas.

(Foto Inhabitat/Reprodução)