Mulheres à frente: rumo à igualdade de gênero no cenário urbano

As mulheres vêm conquistando cada vez mais políticas e direitos para, finalmente, conquistarem autonomia e independência no mundo urbano – muitas dessas mudanças lideradas por outras mulheres. Seguiremos acompanhando essas transformações aqui no TheCityFix Brasil! (Foto: Benoit Colin/EMBARQ)

Nós homenageamos, ontem, o Dia Internacional da Mulher com um post sobre quatro mulheres que lideram transformações urbanas de grande impacto para a vida nas cidades onde habitam. Mas o tema do gênero não pode ficar restrito ao dia 8 de março. Por isso, o TheCityFix Brasil faz questão de elevar o debate da questão de gênero sempre que descobre bons exemplos e políticas públicas praticadas para tornar as cidades e o transporte mais inclusivos, seguros e acessíveis.

Nós separamos algumas destas histórias pra inspirar você também:

O transporte público deve pensar também nas mulheres

Garantir o acesso equitativo de homens e mulheres aos sistemas de transportes está relacionado à forma como ele atende as necessidades de segurança, eficiência e mobilidade sustentável de ambos os gêneros. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), as atividades femininas geralmente estão atreladas à combinação de múltiplos destinos e paradas dentro de uma viagem maior como resultado das responsabilidades com a casa e cuidado à família. Isso torna mais caro para as mulheres andarem de transporte público, uma vez que elas pagam por numerosas tarifas, passagens para um sentido ao longo de uma viagem fragmentada. Continue lendo

 

Segurança é acessibilidade: as mulheres e o transporte público na América Latina

Setenta milhões de mulheres latino-americanas entraram no mercado de trabalho nos últimos 20 anos. Essas mulheres contribuem significativamente com a economia de seus países, sustentando comunidades e famílias e se tornando cada vez mais usuárias ativas da infraestrutura e do transporte público de suas cidades. Uma pesquisa recente realizada na Cidade do México mostrou que 57% dos usuários dos sistemas de transporte da cidade são mulheres. Continue lendo

 

DF: após as 22h, mulheres podem desembarcar fora do ponto de ônibus

A tomada de decisão por este ou aquele meio de transporte está atrelada a diversas variáveis, como a praticidade, economia, tempo, confiabilidade e conforto. Uma delas é a percepção de segurança dos usuários, especialmente das mulheres. Ninguém prefere embarcar no transporte coletivo se o ponto é longe de casa e o caminho é escuro ou deserto, por exemplo, mesmo que haja baixa incidência criminal na região. O instinto diz que é inseguro andar ali e pronto. Continue lendo