Transporte sustentável: as práticas que qualificam a mobilidade e salvam vidas

Cidades que investem em transporte sustentável melhoram a segurança e qualidade de vida da população (Foto: Mariana Gil/EMBARQ Brasil)

O uso de meios de transporte sustentáveis – coletivo, bicicletas, caminhada –, além de melhorar a saúde da população, salva vidas. Cidades que investiram na utilização desses modais viram aumentar a qualidade de vida das pessoas a partir de uma verdadeira transformação na mobilidade.

Copenhague registrou aumento de 28% no fluxo de bicicletas entre 1998 e 2009, e Nova York, depois da construção de 320 km de ciclofaixas, viu o número de deslocamentos feitos de bicicleta quadruplicar entre 2000 e 2010 ao mesmo tempo em que o os acidentes envolvendo ciclistas caíram mais de 70%. Além disso, um relatório comprovou que a instalação das ciclovias na cidade ajudou a melhorar o trânsito para todos os modais.

(Foto: Dmitry Gudkov/Flickr)

A implementação de sistemas BRT (Bus Rapid Transit) também contribui significativamente para a redução de acidentes e mortes no trânsito. Atualmente, 189 cidades no mundo inteiro contam com sistemas de prioridade ao ônibus, beneficiando mais de 31 milhões de pessoas.

O BRT TransMilenio, em Bogotá (Colômbia), é um exemplo de como o transporte coletivo sustentável ajuda a salvar vidas. Desde que foi implementado, o sistema evitou mais de 200 mortes na Avenida Caracas, onde foi instalado. Nos primeiros nove anos de operação, a média de acidentes na via passou de 61 para 21, uma redução de 65%. Em Guadalajara (México), o cenário foi semelhante. Antres do BRT Macrobús, eram registrados cerca de 700 acidentes por ano no trecho onde o sistema foi instalado em 2009. No período que se seguiu, a redução foi quase imediata: 46% nos primeiros dois anos de operação.

BRT TransMilenio, em Bogotá (Foto: Mariana Gil/EMBARQ Brasil)

A redução dos limites de velocidade e o design urbano também estão diretamente ligados à qualidade da mobilidade nas cidades e, consequentemente, às vidas que podem ser salvas. O nível de atenção dos motoristas tende a aumentar – e a velocidade a diminuir – quanto maior for o número de pedestres e ciclistas em circulação. Ao atender as necessidades do pedestre por meio do desenho urbano, as cidades incentivam o transporte ativo, contribuindo para a redução dos acidentes.

No vídeo abaixo, exemplos do Brasil, da Índia, do México e da Turquia mostram como soluções de transporte sustentável podem salvar vidas, qualificar a mobilidade urbana e melhorar a qualidade de vida nas cidades.