Cidades prósperas e saudáveis começam pela segurança viária

Na medida em que a posse de carros cresce em cidades do mundo todo, a implementação de sistemas de ônibus bem planejados torna-se cada vez mais imprescindível para garantir mais segurança para todos. (Foto: Mariana Gil/EMBARQ Brasil)

Este post foi escrito por  e  e originalmente publicado no TheCityFix.

 ***

Todos os anos, mais de 1,2 milhão de pessoas morrem em acidentes de trânsito no mundo, o equivalente à queda diária e sem sobreviventes de quase cinco aviões Boeing 747. Enquanto as economias crescerem acompanhadas pelo aumento da posse de automóveis individuais, o número de acidentes e fatalidades no trânsito continuará a subir.

O desafio da segurança viária muitas vezes acaba passando despercebido nas cidades, onde as questões sociais e econômicas de acomodar populações crescentes acabam tomando a frente. Sem mudanças significativas, porém, a Organização Mundial da Saúde projeta que os acidentes no trânsito se tornem a quinta causa de mortes prematuras no mundo até 2030. Isso repercute particularmente nas cidades, que já registram quase metade de todos acidentes de trânsito. Os líderes municipais precisam priorizar medidas de segurança viária para assegurar que as pessoas tenham cidades seguras, saudáveis e economicamente prósperas para chamar de lar.

Com o crescimento urbano chegam os desafios de segurança viária

Há muitos fatores que contribuem para os acidentes de trânsito, mas dois deles despontam como principais desafios para as cidades: o índice crescente de motorização e a questão da igualdade no espaço viário – os usuários mais vulneráveis, incluindo pedestres e ciclistas, são os mais vitimados pelos acidentes. Além disso, esses usuários, normalmente com menor poder aquisitivo, nem sempre têm o poder ou a capacidade de criar as mudanças necessárias.

O número de carros privados circulando nas ruas atingiu a marca de um bilhão pela primeira vez em 2010. Se nós continuarmos assim, esse número chegará à estimativa de 2,5 bilhões de carros até 2050. Todos esses novos automóveis levarão a um inevitável aumento dos congestionamentos e da probabilidade de acidentes e mortes no trânsito.

Apesar disso, ainda há tempo de tomar uma direção diferente no que diz respeito à segurança viária; por exemplo, seguindo a linha avoid-shift-improve (em português, evitar-mudar-melhorar). Nós podemos evitar deslocamentos desnecessários e, dessa forma, ao mesmo tempo prevenir acidentes e criar áreas urbanas mais compactas e caminháveis, com acesso seguro aos meios de transporte coletivos. Nós podemos mudar a forma como os deslocamentos são feitos, de carros para o transporte ativo ou sistemas de transporte coletivo de alta qualidade. E, por fim, nós podemos melhorar o transporte e o design urbano para maximizar a segurança de todos os modais investindo em infraestrutura para o transporte sustentável e em estratégias de design voltadas para pessoas.

Cidades mais seguras a partir do design urbano

Uma das melhores formas de uma cidade se tornar mais segura para todos é por meio de sistemas de transporte sustentável como o BRT (Bus Rapid Transit), que atualmente atende 31 milhões de pessoas em mais de 180 cidades diariamente. O BRT pode tornar a mobilidade mais segura oferecendo uma infraestrutura eficiente e acessível que prioriza as pessoas, não os carros. Em Guadalajara, no México, por exemplo, apenas uma faixa do corredor BRT Macrobús, em mão única, transporta cinco mil passageiros por hora. Faixas de trânsito normais em Guadalajara acomodam apenas 3.194 passageiros por hora e registraram, em 2011, 726 acidentes, enquanto o Macrobús contou apenas seis.

O crescimento, em todo o mundo, de sistemas BRT e de prioridade ao ônibus configura uma oportunidade de salvar vidas e melhorar a saúde e a segurança nas cidades. O novo estudo da EMBARQ, iniciativa do WRI Ross Center for Sustainable Cities, intitulado Traffic Safety on Bus Priority Systems (em português, Segurança Viária em Sistemas de Prioridade ao Ônibus), mostra que sistemas de transporte coletivo de alta qualidade podem melhorar a segurança viária, reduzindo ferimentos e mortes em até 50%, como visto em cidades como Guadalajara e Ahmedabad. O documento traz recomendações de design e planejamento que podem auxiliar as cidades a tornarem as ruas mais seguras para todos. Testadas previamente em grandes centros urbanos, como Rio de Janeiro, Cidade do México e Istambul, essas recomendações incluem estratégias de design urbano para tornar os sistemas de prioridade ao ônibus mais seguros em suas interseções, estações e travessias de pedestres, entre outros elementos.

Os benefícios sociais, econômicos e ambientais de ruas mais seguras

São multifacetados os benefícios de sistemas BRT e de prioridade ao ônibus bem planejados. Não apenas esses sistemas podem melhorar a segurança no trânsito; podem, também, melhorar a saúde dos moradores ao reduzir a poluição do ar e aumentar os índices de prática de atividade física, o que comprovadamente garante mais longevidade e qualidade de vida.

Criar corredores de ônibus seguros e bem planejados pode prevenir as mortes de pedestres, das quais mais de metade acontece em corredores com pouca infraestrutura para esses usuários. Adicionalmente, os sistemas de BRT da América Latina já mostraram os muitos benefícios que trazem às cidades, entre os quais o impacto na segurança, que representa uma diminuição do ônus ao sistema de saúde de entre 10% e 16%.

Com o número crescente de viagens diárias, os sistemas BRT e de prioridade ao ônibus representam uma grande oportunidade de garantir mais segurança e sustentabilidade para as ruas e para a mobilidade. As descobertas e recomendações técnicas do estudo serão de grande valia para que engenheiros, planejadores de sistemas de transporte e urbanistas possam desenvolver as melhores soluções para os desafios específicos de cada cidade e criar ambientes urbanos mais seguros e acessíveis para todos. Mais do que isso, o documento poderá ajudar líderes municipais em todo o mundo a inserir de forma adequada a segurança viária nas políticas de transporte, finanças, planejamento e design.

 

O estudo Traffic Safety on Bus Priority Systems  foi realizado com o apoio da Bloomberg Philanthropies.