Enrique Peñalosa lidera a transformação urbana de Bogotá

Enrique Peñalosa implementou políticas que ajudaram a transformar Bogotá. (Foto: Colin Hughes/Flickr)

Publicado originalmente em inglês por Dario Hidalgo no TheCityFix.

Em 1997, Bogotá era um dos lugares mais improváveis para protagonizar uma transformação urbana. Havia uma longa história de planos de governo não cumpridos – alguns com apoio de arquitetos reconhecidos globalmente como Le Corbusier; um semiformal sistema de transporte público conhecido como a “guerra do centavo“; e seu desenvolvimento urbano meio caótico, mal organizado, que levou à desigualdade e informalidade. Até que um economista que virou urbanista – e seguidor de Jane JacobsJan Gehl, e Francesco Tonucci – foi eleito prefeito da cidade: Enrique Peñalosa.

Em apenas três anos, Peñalosa liderou uma transformação que ainda faz com que a capital colombiana seja reconhecida globalmente pela inovação em mobilidade urbana e justiça social. Alguns dos destaques deste legado incluem o TransMilenio – um dos sistemas BRT (Bus Rapid Transit) mais utilizados; o programa habitacional popular da cidade; a revitalização em larga escala de parques e espaços públicos; mais de 350 km de ciclovias protegidas; milhares de metros quadrados de calçadas recuperadas e novas; formalização de mais de 300 assentamentos informais, proporcionando saneamento e acesso local a estradas; três grandes bibliotecas públicas e centros culturais; e fortes políticas de gestão da demanda de viagens (GDV), tais como a restrição ao carro e a remoção de estacionamentos nas ruas.

Desde então, Peñalosa se tornou um porta-voz do urbanismo, transporte público, bicicleta e justiça social. Ele tem levado sua mensagem a centenas de locais bem como a plaformas online, ao TED Quando falou fez a palestra “Por que ônibus simbolizam a democracia em ação”. A transformação em Bogotá, em particular com o Transmilênio, foi amplamente documentada em fontes que vão desde o The New York Times, passando pelo StreetFilms até o Danish Film Institute. Por sua influência em todo o mundo, demonstrando o potencial de transporte urbano e de desenvolvimento progressivo estratégias sustentáveis em Bogotá, Enrique Peñalosa ganha seu lugar na Urbanismo Hall of Fame do TheCityFix.

A experiência profissional

Antes de ser prefeito, Enrique Peñalosa foi professor universitário na Universidad Externado de Colombia e um premiado colunista de economia no El Espectador. Ele também trabalhou na Empresa Pública de Água de Bogotá e no Departamento de Cundinamarca, a região em que fica Bogotá. Em 1986, tornou-se consultor de economia para o presidente colombiano, Virgilio Barco, onde ajudou a criar o programa de urbanização de Ciudad Salitre, uma grande parcela subdesenvolvido oeste do centro de Bogotá. Aqui ele promoveu parques e espaços públicos, ciclovias e estradas abertas, usos mistos e de boa densidade, para criar uma boa qualidade de vida.

Um prefeito transformador

Peñalosa foi eleito em 1990 para a Câmara dos Deputados, em 1990, e concorreu à prefeitura duas vezes antes de ser eleito em 1997 e servir até 2001. Sua visão era construir uma sociedade equitativa onde o interesse geral se sobrepusesse aos grupos pequenos e individuais. Políticas que foram ao encontro desta visão incluem:

“Pico y Placa” restringe o uso do carro para reduzir o congestionamento

O Pico Y Placa, ou o rodízio, restringiu 40% dos veículos nas horas de pico de acordo com a placa. A estratégia obteve efeito imediato, reduzindo os tempos de viagem e levando motoristas a compartilhar seus carros ou então migrar para outros meios de transporte. Depois de Bogotá, mais de 20 cidades da Colômbia e da América Latina têm utilizado esta estratégia para reduzir o congestionamento e melhorar a qualidade do ar. Junto ao aumento do imposto sobre os combustíveis e à remoção de vagas de estacionamento, o rodízio foi claramente um esforço na direção de racionalizar o uso do carro.

“Carrera 15 Calçadas” cria calçadas de alta qualidade

Este projeto, que Peñalosa herdou da administração anterior, melhorou a iluminação, a arborização e o mobiliário de calçadas paralelamente à eliminação de estacionamento. Foi um projeto controverso especialmente com os comerciantes locais, que organizaram um impeachment sem sucesso. Contudo, isso revitalizou uma importante rua comercial, estimulando a ampliação das medidas nos anos seguintes.

Biblioteca Barco torna-se um importante trunfo comunitário

Antes de Peñalosa, a cidade carecia de bibliotecas públicas e centros culturais. Então ele contratou o arquiteto Rogelio Salmona para construir a Biblioteca Barco, que tornou-se uma obra-prima no centro de um parque. Mais duas bibliotecas em áreas de baixa renda foram abertas por Peñalosa, ajudando a expandir os espaços culturais e públicos.

Uma nova abordagem para habitação a preços acessíveis

Historicamente, a falta de habitação de baixa renda foi tratada com empréstimos bonificados em vez de construir comunidades. O projeto Metrovivienda El Recreo mudou esse costume ao estabelecer infraestrutura urbana como estradas, calçadas, parques e utilitários  antes de solicitar o serviço das construtoras privadas para finalizar o conjunto habitacional sobre condições restritas. Os requisitos incluíam um mínimo de metros quadrados, qualidade e preço máximo. Como disse um morador de Metrovivienda: “este é o melhor bairro da cidade”.

Alameda El Porvenir é um exemplo de pedestrianização

As vias urbanas de Bogotá eram tradicionalmente construídas sem calçadas. A Alameda El Porvenir, por outro lado, é uma calçada-ciclovia que não permite veículos motorizados, tornando-se uma das maiores ruas para o transporte ativo no mundo. Numa área de baixa renda, o calçadão de 17km provê acessibilidade e um espaço recreacional para milhares de residente, conectando-os a escolas, creches, parques e uma biblioteca.

A gestão de Peñalosa, no entanto, sofreu impasses dos mais variados grupos. Incluindo moradores de condomínios fechados que não queriam seus muros ilegais removidos, membros do country club que não quiseram parte da propriedade transformada num parque público. A união de professores de escolas que se opuseram às vans escolares de alta qualidade, motoristas de táxi que também temiam essa regulamentação; proprietários de pequenos ônibus e operadores do sistema ferroviário assustados com a mudança trazida pelo TransMilenio, e muitos outros grupos de interesse que lutaram contra Peñalosa quem ele tentou ser reeleito. Apesar de um alto índice de popularidade durante a gestão, ele não retornou à prefeitura.

Agora, Peñalosa é considerado um excelente administrador embora não um ‘bom político’ – muitos políticos se destacam por conseguir de reeleger, mas ficam aquém no cumprimento de suas promessas. Sua influência sobre urbanismo, no entanto, é inegável. Enquanto não há cidades sem falhas, Bogotá ainda é considerada um grande exemplo do que pode ser feito com uma liderança política forte, equipe capacitada à implementação e níveis adequados de financiamento. Peñalosa colocou uma política de mobilidade sustentável e desenvolvimento urbano em prática, e inspirou centenas de cidades ao redor do mundo.