“Você é bem-vindo na cidade, seu carro não”

(Foto: Pedro Szekely/Flickr)

42% dos deslocamentos feitos a pé ou de bicicleta e 32% utilizando os trens ou outros modais de transporte coletivo. Estamos falando de Zurique, cidade mais populosa da Suíça e um exemplo quando o assunto é mobilidade urbana, ainda que menos conhecido que Amsterdã ou Copenhague.

Zurique conseguiu o que cidades do mundo inteiro lutam para alcançar: planejar um sistema de transporte eficiente, integrado e multimodal que permite que as pessoas possam ir a praticamente qualquer área da cidade sem precisar de um carro. Como consequência, apenas 26% dos moradores se locomove usando carros ou motos.

O vídeo abaixo, do StreetFilms, reúne depoimentos de moradores, funcionários do departamento de trânsito da cidade e outros profissionais do setor para contar como Zurique chegou lá, tornando-se uma cidade que sempre aparece nas primeiras posições dos rankings de qualidade de vida.

Tudo começou com o decreto de 1996 conhecido como “Compromisso Histórico”, que estabeleceu um número fixo de estacionamentos. Desde então, não podem ser construídos novos estacionamentos na cidade, a menos que em substituição a um já existente. O uso do espaço viário também é planejado, garantindo que não seja totalmente destinado aos carros.

 

 

Além disso, um sistema de controle de tráfego com mais de 4.500 sensores monitora o número de automóveis que entram na cidade e, quando esse número ultrapassa o limite estabelecido – a quantidade de carros que as ruas podem acomodar de maneira confortável – os veículos nas rodovias e principais vias de acesso à cidade são interrompidos até que o congestionamento diminua.

Todos esses esforços, atuando de forma integrada na cidade, têm um impacto inquestionável no dia a dia das pessoas. Zurique é um exemplo de que é possível não precisar ou não depender do carro para os deslocamentos cotidianos – bastam planejamento e comprometimento.

Banhofstrasse, famosa pelo intenso fluxo de pedestres (Foto: Pedro Szekely/Flickr)

Fontes: TreeHugger, StreetFilms