Segurança viária é destaque do 1º dia de Etransport no Rio

Brenda Medeiros, da EMBARQ Brasil. (Foto: Mariana Gil/EMBARQ Brasil)

O índice de mortes da cidade do Rio de Janeiro – 15 por 100 mil habitantes – alerta para soluções imediatas. A escolha da Fetranspor em abrir o maior encontro de mobilidade urbana do país, o Etransport, com o tema da segurança viária indica que o Rio de Janeiro e a vida não podem mais esperar. Com apoio da EMBARQ Brasil, o evento iniciou nessa quarta e vai até sexta-feira (7), no Riocentro, com a expectativa de um público de 12 mil pessoas.

“Um recente estudo da rede EMBARQ indica que de todos agentes envolvidos em fatalidades em corredores de ônibus e BRT no mundo, 54% eram pedestres”, alerta Brenda Medeiros, gerente de Projetos de Transporte da EMBARQ Brasil, em painel dedicado à segurança nos corredores BRT. Nesse sentido, é recomendado a condução de auditorias de segurança viária em novos projetos de transporte para que antigos erros sejam evitados e mais vidas salvas.

Para Brenda Medeiros, um dos principais desafios é reduzir o limite de velocidade dos veículos motorizados na cidade. “A maioria dos BRT já nasce em vias de 60 km/h, o que é considerado muito alto. Um atropelamento com um veículo a essa velocidade tem risco de morte ao pedestre em quase 100%”, alerta. A especialista apontou “a nova geração de BRT” brasileiros como possibilidade de transformação uma vez que permitem ao poder público transformar o espaço urbano com foco nas pessoas. “Pedestre é como água. Ele encontra o melhor caminho, ou o mais fácil. Precisamos estar atentos aos desejos das pessoas e, a partir daí, repensar o ambiente viário e torna-lo mais seguro”, destaca.

Clique aqui para ler a cobertura completa do 1º dia de Etransport, no Rio.

Auditório cheio no Riocentro. (Foto: Mariana Gil/EMBARQ Brasil)