Operando há um mês, bike-share tem 1.100 bicicletas

(Foto: MOL Bubi)

Budapeste inaugurou seu sistema bike-share há apenas um mês e já disponibiliza 1.100 bicicletas à população. O número impressiona, mas vale sublinhar que da ideia à inauguração foi um longo caminho. O projeto surgiu ainda em 2008, e a partir disso a capital húngara já estabeleceu o local das 76 futuras estações, além de concurso público para escolha do nome. Nascia o MOL Bubi.

Ideias só impactam a realidade quando viram ações. Foi em 2011 que a Assembleia Geral de Budapeste aprovou o MOL Bubi, e a cidade, paralelamente, começou a realizar intervenções em prol da mobilidade urbana sustentável, como a instituição do Dia Mundial Sem Carro e infraestrutura viária para os ciclistas. A empresa vencedora da licitação pública assinou contrato com Budapeste em 2013, para que um ano depois o sistema entrasse em testes operacionais. Por dois meses, duas mil pessoas puderam experimentar o MOL Bubi no intuito de avaliar o serviço.

Por natureza, sistemas bike-share deixam as cidades mais charmosas, basta pensar nas nossas famosas “laranjinhas” Bika Poa, Bike Sampa ou Bike Rio, por exemplo. Em Budapeste não poderia ser diferente. As recém-nascidas “verdinhas” são cheias de estilo. Não só pelo design e pela tecnologia embutida no próprio veículo, como na foto abaixo, mas as estações também são funcionais. Elas possuem um sistema de informação que indica onde há vagas e bikes disponíveis – o que também pode ser feito por um app -, câmeras de segurança, e uma central de atendimento telefônico 24 horas à disposição.

O mais legal é que Budapeste entende o sistema como meio de transporte urbano, e não como simplesmente uma forma de lazer. No site oficial, é feita uma série de recomendações com um viés claro: facilitar viagens, conectar modais. Por exemplo, uma das dicas é a seguinte: “não é necessário percorrer todo o deslocamento de bicicleta: pedale somente quando e onde a bike for mais vantajosa do que outros modais ao longo do seu percurso”. Todos podem utilizar o serviço, residentes ou turistas. Basta entrar no site e verificar as opções de passe. As viagens devem durar 30 minutos para ficarem isentas de cobrança extra.

É verdade que o sistema levou tempo para sair do papel, mas seu lançamento massivo em meio às mudanças no espaço viário da cidade tem potencial para transformar o modo como as pessoas lidam com a bicicleta e com a rede de transportes urbanos como um todo ao incentivar a conectividade.

(Foto: MOL Bubi)

(Foto: MOL Bubi)

 

(Foto: MOL Bubi)

(Foto: MOL Bubi)