Um novo coração para São Paulo

Intervenções urbanas para mudar a cara do centro de São Paulo (Imagem: Gehl Architects/Reprodução)

Criar espaços para as pessoas, melhorar a acessibilidade, tornar a cidade mais agradável para a vida cotidiana e melhorar a relação entre as pessoas e o ambiente construído ao seu redor. Com esses objetivos em vista, quatro projetos piloto vão tomar a área central da capital paulista.

Sob o mote A New Heart for São Paulo, o Gehl Architects, escritório do dinamarquês Jan Gehl, reconhecido mundialmente pelo trabalho com espaços urbanos públicos, está trabalhando em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano de São Paulo na revitalização de quatro pontos do centro da cidade.

(Imagem: Gehl Architects/Reprodução)

O projeto começou no início da gestão de Fernando Haddad e incluiu workshops com técnicos da prefeitura, ONGs e universidades, além de pesquisas de mapeamento com a população para identificar problemas e necessidades.

Como resultado, em lugar de maquetes, uma série de intervenções em escala humana. Novas faixas de pedestres, paraciclos, espaços de descanso, aparelhos de ginástica ao ar livre, atividades noturnas e a transformação de um estacionamento em um parque são algumas das mudanças que já vem sendo implementadas. São estruturas inicialmente temporárias, instaladas com o objetivo de aumentar o bem-estar dos paulistanos, oferecendo-lhes a chance de experimentar as mudanças e perceber o impacto que podem ter no dia a dia na cidade.

A prioridade às pessoas precisa ser uma diretriz para que os resultados sejam percebidos em larga escala. Mas intervenções como essas permitem que as pessoas vivenciem todo o potencial da cidade e vejam como as áreas urbanas podem ser lugares vivos, seguros e atrativos. Algo que pode ser, ao mesmo tempo, fonte de inspiração e precedente de grandes mudanças.

Confira abaixo algumas das intervenções no Largo Paissandu e no Largo São Francisco.

Largo Paissandu

– Cinco novas faixas de pedestres
– Anteparos e melhorias nas travessias de pedestres
– Paraciclios e compartilhamento de bicicletas
– Bancos nas muretas e canteiros
– Bancos nos pontos de ônibus e pintura gráfica nos abrigos
– Mobiliário portátil
– Deck de madeira com guarda-sóis e cadeiras de praia
– Iluminação pública e cênica na copa das árvores
– Equipamentos de lazer e ginástica
– Comida de rua e feirinha gastronômica
– Shows e apresentações artísticas

(Foto: Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano/Divulgação)

(Foto: Fernando Pereira/SECOM)

Largo São Francisco

– Nova faixa de pedestres
– Anteparos e melhorias na travessia de pedestres
– Paraciclos e compartilhamento de bicicletas
– Ciclovia
– Deck-arquibancada de madeira
– Bancos nas muretas e canteiros
– Mobiliário portátil
– Guarda-sóis e cadeiras de praia
– Passarela mirante junto à empena cega
– Projeções semanais de cinema e vídeo
– Karaokê na praça
– Floricultura e comida de rua
– Feirinha gastronômica semanal
– Iluminação pública e cênica na copa das árvores
– Shows e apresentações artísticas

(Foto: Heloisa Ballarini/SECOM)

(Foto: Heloisa Ballarini/SECOM)

 (Fontes: Gehl Architects, CicloVivo)