Três cidades brasileiras para pedalar

Quando pensamos na cidade ideal pra pedalar, é normal que nossa mente cruze oceanos e viaje para Copenhague, Amsterdã ou Barcelona, entre tantas outras cidades-referência em bicicleta. Ciclovias e medidas de priorização ao ciclista inspiram e ensinam outras cidades ao redor de todo o globo terrestre. O que muitos talvez não saibam é que aqui mesmo, no Brasil, alguns municípios já adotam boas práticas e enxergam a bicicleta como premissa para cidades mais igualitárias, seguras, saudáveis e habitáveis.

Porque é importante mostrar os bons exemplos brasileiros, separamos três cidades que vêm dando boas lições sobre como fazer um ambiente viário favorável às pedaladas, garantindo mais qualidade de vida a seus residentes. Acompanhe conosco:

Rio Branco, Acre

(Foto: RBTrans)

O primeiro exemplo que trazemos, e talvez o mais surpreendente, vem diretamente Amazônia. Rio Branco conta com uma extensão cicloviária de 74 km e prevê, no plano cicloviário – que está integrado ao Plano Diretor – um total de 160 km de ciclovias. Quando estiverem concluídas, a capital, de 300 mil habitantes, terá a maior rede cicloviária per capita do país. O plano prevê também a sinalização viária padronizada nas ciclovias. Além disso, toda nova obra urbana estruturante deverá reservar espaço para o transporte por bicicleta.

De acordo com a prefeitura, o diferencial de Rio Branco em relação às demais cidades da região amazônica, nas quais a bicicleta é amplamente adotada como meio de transporte, é justamente a dedicação de vias exclusivas à circulação do transporte não motorizado. O sistema cicloviário prevê três fases de implantação, de acordo com o mapa abaixo. A primeira, já concluída, foi a requalificação das vias já existentes, com a construção de conexões em forma de malha, para garantir continuidade às ciclovias. A próxima fase prevê alimentação da rede aos bairros, e a terceira refere-se à circulação interna nos bairros mais periféricos. Saiba mais e veja fotos sobre o plano cicloviário de Rio Branco.

Fases de implantação do Plano Cicloviário de Rio Branco. (Fonte: RBTrans)

Sorocaba, São Paulo

Sorocaba. (Foto: Zaqueu Proença/Prefeitura de Sorocaba)

Sorocaba fica a menos de 100 km da capital paulista e vem mostrando como se faz uma cidade mais amiga da bicicleta. O Plano Cicloviário está em vigência desde 2006, e já garantiu 115 km de ciclovias na cidade – dos quais três são ciclofaixas, e dois, faixas compartilhadas com ônibus. A malha cicloviária da cidade está interligada de Leste a Oeste e de Norte a Sul, o que facilita o deslocamento do ciclista de forma segura.

A cidade vai além das ciclovias e planejou a conectividade de bicicleta com outros modais. São 50 paraciclos integrados a terminais de ônibus e pontos estratégicos para a integração com a rede de transportes do município. As facilidades para pedalar não param por aí. Sorocaba conta com um sistema bike-share gratuito, o Integrabike, disponibilizado aos cidadãos com a partir de 18 anos que possuem um dos cartões do transporte coletivo. Ao todo, são 19 estações nas regiões central e norte, somando 152 bicicletas.

Clique para ampliar o Mapa Cicloviário de Sorocaba.

Santos, São Paulo

Santos. (Foto: Tadeu Nascimento/Prefeitura de Santos)

No litoral paulista, Santos conta hoje com 30,5 km de malha cicloviária interligando a orla ao Centro, a divisa de São Vicente ao Porto, e a zona Leste à Noroste, região que concentra os atuais investimentos na ampliação das ciclovias. O município foi reconhecido pela Associação Brasileira dos Ciclistas como ‘cidade amiga da bicicleta’. Outra característica que favorece a mobilidade urbana por bicicleta é o fato de a cidade ser quase totalmente plana.

Santos também conta com um sistema bike-share, o Bike Santos, que também se integra ao transporte coletivo da cidade. Os moradores que possuem o Cartão Transporte, que dá acesso ao serviço de transporte coletivo local, podem cadastrar seu cartão no site oficial e passar a usá-lo para retirada da bicicleta. Até hoje, mais de 730 mil viagens já foram realizadas de Bike Santos, que conta com 35 estações.

Mapa cicloviário de Santos. (Imagem: Prefeitura de Santos)