“Eu já disse que te amo?” Perspectivas sobre como reinventar nossas cidades do X Congreso

Por três dias, participantes do décimo congresso anual de transporte sustentável da EMBARQ Mexico, o ‘X Congreso’, exploraram como reinventar as cidades. (Foto: Benoit Colin/EMBARQ)

A EMBARQ Mexico realizou, durante três dias o “X Congreso”, que pautou a seguinte questão: como podemos tornar as cidades lugares melhores para viver?

Na conferência, ouvimos inúmeras respostas para essa pergunta, vinda de profissionais de transporte, planejamento urbano, funcionários de governo, sociedade civil e líderes empresariais. Alguns deles falaram sobre as melhores formas de governar as cidades, enquanto outras falaram sobre como catalisar mudança engajando os cidadãos com ações inovadoras de transformação.

Não importa a abordagem, o X Congreso reforçou que há de fato otimismo para o futuro urbano, mesmo em meio a desafios para acomodar a rápida urbanização. Para levar adiante o espírito de otimismo, trazemos aqui algumas das ideias trazidas pelos participantes do Congreso que vão inspirá-lo a tornar a sua cidade um lugar melhor para viver.

Seis perspectivas sobre como reinventar nossas cidades

Robin Chase, fundadora do Zipcar, Buzzcar, e GoLoco

“Eu sinceramente acredito que o transporte debe estar no centro do universo. Ele pode te deixar feliz ou torna-lo incrivelmente brabo todos os dias.”

A empreendedora da mobilidade compartilhada Robin Chase abriu a conferência com uma palestra sobre a transformação da mobilidade urbana através da liderança inovadora. Suas observações nos fazem lembrar o quanto a mobilidade molda nossas vidas diárias e determina a qualidade de vida nas cidades. Há muito poucas coisas os bilhões de residentes urbanos de todo o mundo têm em comum, mas o desejo de mover-se livremente e com segurança pelas cidades é um deles.

Robin Chase fez a abertura do X Congreso. (Foto: Taís Policanti/EMBARQ Mexico)

Guillermo Peñalosa, diretor executivo, 8-80 Cities

“Caminhar e andar de bicicleta não são atividades insignificantes. São parte fundamental da mobilidade urbana, cidades equitáveis e democracia.”

Muitas das discussões X Congreso girou em torno da ideia de construir cidades que movam pessoas – e não carros – através do incentivo ao transporte ativo. Peñalosa nos lembrou que esta meta traz benefícios além de mobilidade, e que na realidade compõe parte fundamental do desenvolvimento urbano. O desenho urbano “carrocêntrico” limita a mobilidade para todos, e tem um efeito desproporcional em membros menos favorecidos da sociedade. Por exemplo, idosos correspondem a 45% das fatalidades com pedestres e mais de 70% das fatalidades com ciclistas globalmente. Reverter essa tendência e proteger os usuários mais vulneráveis da via é um modo de lidar com a mobilidade urbana e a desigualdade nas cidades.

Guillermo ‘Gil’ Peñalosa enfatizou a importância do ciclismo e da caminhada segura para cidades igualitárias. (Foto: Taís Policanti/EMBARQ Mexico)

Andrew Steer, presidente e CEO, World Resources Institute

“Nós podemos tanto voltar as cidades para as soluções para nossos problemas, ou continuar com os hábitos de sempre e enfrentar as consequências pelo caminho”

Andrew Steer encerrou o X Congreso ao enfatizar um ponto de conversão nas cidades do mundo. O crescimento urbano no mundo em desenvolvimento significa que as cidades – especialmente na Ásia e na África – estão prestes a fazer enormes investimentos em infraestrutura urbana nos próximos anos. Na China, por exemplo, 60% de todos os edifícios serão novos edifícios até 2050. Em razão de a infraestrutura urbana tipicamente durar décadas, as decisões que líderes municipais fazem hoje vão determinar o curso que nossas cidades vão seguir por gerações. Vamos criar cidades em expansão, fragmentadas e orientadas pelo carro, ou cidades conectadas e coordenadas que vão melhorar a qualidade de vida?

Andrew Steer (esquerda) encerrou o X Congreso com um desafio para que líderes urbanos abracem uma nova era em práticas de desenvolvimento sustentável. (Foto: Taís Policanti/EMBARQ Mexico)

Robin King, diretora de Desenvolvimento Urbano e Acessibilidade, WRI Ross Center for Sustainable Cities

“O que é preciso para construir uma cidade que em você realmente tem vontade de morar? Para criar esta cidade, há que trabalhar com seus amigos e inimigos.”

Para ir além dos debates, Robin King colocou a retórica sobre desenvolvimento urbano e sustentável à prova. Ela fez um workshop em que participantes deveriam criar uma cidade fictícia do zero, expondo os conflitos de interesses e visões por trás dos processos que orientam o desenvolvimento urbano. A atividade identificou desafios consideráveis que prefeitos e líderes urbanos enfrentam na tentativa de atravessar as divisões políticas e alcançar um impacto real nas suas cidades. Como disse um participante, “se não podemos sequer criar a nossa cidade ideal no papel, como os urbanistas poderão fazer isso na vida real?”.

Robin King (esquerda) liderou o workshop “Construa sua própria cidade”. (Foto: Benoit Colin/EMBARQ)

Francisco Barnés Regueiro, coordenador executivo, Metropolitan Environmental Commission

“O meio ambiente não conhece barreiras, divisões políticas ou classes sociais. Ele impacta todos nós.”

Se alguma vez houve dúvidas sobre a necessidade urgente de agir em prol do meio ambiente, Francisco Barnés as sanou de uma vez por todas. Ele ressaltou a importância da governança coordenada para tratar de questões como as mudanças climáticas, garantindo a mobilidade sustentável nas regiões metropolitanas e fomentando a cooperação entre economias regionais. Acima de tudo, Barnes nos lembrou do alto custo da falta de ação sobre questões ambientais: o bem-estar humano.

Rogueiro falou sobre a necessidade de pensar o desenvolvimento urbano na escala das megalópolis. (Foto: Taís Policanti/EMBARQ Mexico)

Robin Chase

“Eu já disse que te amo?”

Na longa e difícil jornada para criar sociedades mais sustentáveis, é fácil concentrar-se em todos os problemas de nossas cidades hoje. Robin Chase nos lembra que não podemos esquecer de celebrar nosso progresso e apreciar a inovação que tornam cidades mais sustentáveis. Para encerrar seu discurso de abertura, ela contou uma história de sua experiência como CEO do car-sharing pioneiro Zipcar, em que recebeu um email anônimo dizendo simplesmente: “eu já disse que te amo?”. Este simples momento reforçou nela a razão pela qual ativistas e líderes urbanos lutam a árdua batalha todos os dias para construir comunidades mais sustentáveis: tornar a vida das pessoas melhor!

Artigo originalmente publicado em inglês no TheCityFix