Seminário Nacional NTU debate demanda social pelo transporte urbano

Autoridades, operadores e especialistas debatem o transporte coletivo brasileiro na edição de 2014 do Seminário Nacional NTU. Luis Antonio Lindau, diretor-presidente da EMBARQ Brasil, foi debatedor de painel sobre BRT (Bus Rapid Transit). (Foto por NTU/Flickr)

Brasília sedia, desde essa quarta-feira (27), o Seminário Nacional NTU 2014, realizado pela Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU). Esta edição do evento traz em pauta um assunto que entrou definitivamente na agenda dos municípios brasileiros: as demandas sociais sobre o transporte público urbano. Durante dois dias, gestores públicos, especialistas, operadores de serviços de transporte e sociedade civil, incluindo o diretor-presidente da EMBARQ Brasil (produtora deste blog), Luis Antonio Lindau, estão reunidos para analisar e debater todas as angulações sobre o tema, cada vez mais pertinente às nossas cidades. O grande objetivo é analisar iniciativas e propor soluções para elevar o transporte coletivo brasileiro a um novo patamar.

PROPOSTAS PARA ATENDER DEMANDAS SOCIAIS EM TRANSPORTE

O clamor pelo transporte coletivo de qualidade teve seu auge em julho do ano passado com a onda de protestos no país. A pergunta sobre como atender efetivamente as necessidades da população, no entanto, ainda não tem resposta definitiva. Para analisar as melhores estratégias e soluções em resposta às demandas sociais, o painel inaugural do seminário reuniu um time de especialistas de diferentes esferas de atuação. Dentre todas as iniciativas e desafios identificados, os participantes encontraram um ponto de convergência: a urgência de priorização ao transporte coletivo. Medidas como a criação de redes integradas de transporte, investimentos federais, faixas exclusivas e sistemas BRT (Bus Rapid Transit) foram debatidas. Para garantir acessibilidade, também foram analisadas questões como desoneração tributária do transporte coletivo, subvenção do serviço com o orçamento público e formas de gratuidade no transporte público.

O painel foi mediado pelo jornalista Alexandre Garcia e teve como debatedores o presidente da NTU, Otávio Cunha, o secretário executivo da Frente Nacional de Prefeitos – FNP, Gilberto Perre, o presidente do Fórum Nacional de Secretários de Transportes, Renato Gianola, o diretor de Juventude da Confederação Nacional das Associações de Moradores – Conam, Getúlio Vargas, o representante do Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte de Qualidade para Todos –MDT, Nazareno Affonso, e o especialista em Transportes Frederico Bussinger.

Público lota auditório do Royal Tulip Hotel, em Brasília, palco do Seminário Nacional NTU 2014. (Foto: NTU/Flickr)

CONSTRUINDO SISTEMAS BRT COM QUALIDADE E SEGURANÇA

O segundo painel do dia, “Qualidade e segurança nos sistemas BRT”, contou com a contribuição do diretor-presidente da EMBARQ Brasil, Luis Antonio Lindau. “É a primeira vez no Brasil que abordamos o BRT num evento sem precisar de tradução simultânea”, brincou Lindau, ao celebrar que cidades brasileiras já contam com sistemas BRT de excelência. “Os BRTs de Belo Horizonte e do Rio de Janeiro são modelos para outras cidades brasileiras. E felizmente outras também já estão implantando, de forma gradativa, seus sistemas dentro das boas práticas”, emendou.

O especialista debateu, ao lado de Ramon Victor César, da Empresa de Transportes e Ônibus de BH – BHTrans, de Conrado Grava de Souza, do Metrô de São Paulo, de Lélis Marcos Teixeira, da Rio Ônibus, e de Clarisse Cunha Linke, do Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento – ITDP Brasil, as ações necessárias para garantir a máxima eficiência, qualidade e segurança dos sistemas BRT.

Lindau discorreu, entre outras questões, sobre um dos fatores-chave para agregar segurança aos sistemas BRT: as auditorias de segurança viária, cujo objetivo é salvar vidas. No Brasil, segundo ele, 315 km de corredores já foram auditados. “Ainda nos deparamos com o grande problema de fatalidades no trânsito. A transformação desta realidade implica em um processo contínuo de inspeções de segurança viária e aprimoramentos nos sistema. Este é um trabalho técnico importante tanto para os projetos em concepção quanto para vias em operação. Temos uma luta constante para reduzir o potencial de acidentes, e as intervenções de segurança viária são vitais para isso”, afirmou o diretor-presidente da EMBARQ Brasil, explicando que ambos os usuários do sistema quanto das vias nos entornos são beneficiados com a medida. De fato, as auditorias de segurança viária – que consistem no mapeamento dos riscos e recomendações técnicas para melhorar um projeto ou sistema em operação – têm o potencial para reduzir 40% das chances de novos acidentes.

BRT MOVE, em Belo Horizonte, teve auxílio técnico da EMBARQ Brasil com uma série de projetos, incluindo auditorias de segurança viária e QualiÔnibus. (Foto: Mariana Gil/EMBARQ Brasil)

COMPONENTES DE UMA OPERAÇÃO EFICIENTE NO SISTEMA BRT

Um sistema de transporte coletivo como o BRT envolve certos cuidados técnicos para a operação eficiente a assertiva e para a entrega de um bom serviço à população. No painel sobre segurança e qualidade para o BRT, Lindau apresentou os três projetos integrantes do programa QualiÔnibus, desenvolvido pela EMBARQ Brasil com apoio da FedEx. “Nós desenvolvemos um processo para mensurar a percepção do usuário antes e depois da implantação de um sistema BRT, a Pesquisa de Satisfação. Ela se propõe a criar um modelo padrão de questionário que seja adaptável ao contexto das diferentes cidades; a compreender as necessidades dos usuários e discutir soluções e práticas com outras cidades; e estimular a criação de sistemas de gestão da qualidade nas cidades”, explicou Lindau. As cidades que já receberam o projeto foram Belo Horizonte, Curitiba e Rio de Janeiro.

Dia 1 de Operação é mais uma estratégia, frisou Lindau, adotada para assegurar uma operação assertiva desde o primeiro dia. “Passam-se alguns anos entre o momento da tomada de decisão pela implantação do sistema BRT (Bus Rapid Transit) e a inauguração. O primeiro dia de operação é estratégico para que a imagem do sistema se mostre forte e confiável”, pontou o especialista, explicando que os operadores têm a chance de aprender com lições de outras cidades que já contam com seus sistemas.

Um ator muito importante para que o sistema BRT ofereça segurança aos usuários é o motorista. Terceiro projeto QualiÔnibus mencionado por Lindau no painel, o Segurança em Primeiro Lugar consiste no treinamento dos motoristas, em programas de desenvolvimento pessoal e profissional e monitoramento. “O objetivo é estimular a preocupação com a segurança viária dentro das empresas que operam o transporte urbano para reduzir o número de incidentes envolvendo ônibus urbanos”, ressaltou Lindau durante o painel de qualidade e segurança ao BRT.

ENCERRAMENTO ACONTECE HOJE

O Seminário Nacional NTU dá continuidade à sua programação ao longo desta quinta-feira (28) com uma série de atividades. Entre elas, o painel “Lei Anticorrupção e Política de Compliance”, o qual conta com apresentação de um estudo de caso da Fetranspor (Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro), oficinas sobre sistemas inteligentes de transporte, e paineis sobre “Bilhetagem eletrônica e tecnologias para controle das gratuidades” e “Gestão Operacional e Informação ao Usuário”. Fique por dentro no site da NTU.