Desenvolvimento sustentável e planejamento integrado marcam a nova Capital Verde Europeia

(Foto: Jean-Pierre Dalbéra/Flickr)

Liubliana é a Capital Verde Europeia de 2016.

Com um sólido plano de sustentabilidade e consideráveis mudanças alcançadas na última década, a capital da Eslovênia se junta a cidades como Bristol, eleita para 2015, e Copenhagen, em 2014.

O prêmio, concedido anualmente a cidades tidas como exemplos de desenvolvimento sustentável e boas práticas urbanas, considera as metas da cidade no que diz respeito a gestão ambiental, ambiente urbano e comprometimento com a sustentabilidade. São avaliados, entre outros indicadores, aspectos como resiliência, mobilidade urbana, qualidade do ar e gestão de resíduos e da água.

Liubliana foi eleita principalmente em decorrência de seu plano de sustentabilidade, o chamado “Visão 2025”, elaborado para seguir uma abordagem integrada de ações: o Programa de Proteção Ambiental, o Plano de Mobilidade Sustentável, o Plano de Ação de Energia Sustentável e a Estratégia de Eletromobilidade trabalham em conjunto pelas metas de desenvolvimento sustentável da cidade.

(Foto: Gilad Rom/Flickr)

A implementação de uma série de medidas ao longo dos últimos anos mudou o cenário na capital eslovena. O plano de mobilidade adotado em 2012, com o objetivo de distribuir o uso dos transportes em 33% para cada modal (transporte coletivo, carros e meios não motorizados) até 2020, já ajudou a elevar para 27,7% o uso do transporte coletivo. O fluxo do tráfego de veículos dentro da cidade foi alterado para priorizar pedestres e ciclistas, o sistema de aluguel de bicicletas já contabiliza dois milhões de viagens desde 2011 e medidas como a priorização de semáforo e cartão integrado aumentaram a agilidade e a confiabilidade do transporte coletivo.

Outro destaque de Liubliana está no que diz respeito às mudanças climáticas. A meta é ambiciosa: reduzir as emissões de gases de efeito estufa entre 50% e 80% até 2050 (tendo como parâmetro os índices de 2008). Tudo isso seguindo uma das bandeiras levantadas pela cidade: a transparência. O World Summit Award, uma iniciativa das Nações Unidas, elegeu o portal Thermal Power Plant (TE-TOL), criado por Liubliana, uma das cinco melhores práticas do mundo na área de disponibilização de informações ambientais.

Entre 2007 e 2013, centenas de projetos foram criados e implantados na cidade para melhorar a qualidade de vida e do ambiente urbano. Abaixo, confira alguns resultados já obtidos.

  • Dois milhões de viagens feitas com as bicicletas do programa BicikeIj desde 2011. Cerca de 10% da população faz um uso regular do sistema;
  • 75% da área da cidade são ocupados por áreas verdes. Entre 2008 e 2012 foram criados 40 hectares de novos parques, e a cidade tem hoje aproximadamente 560 metros quadrados de área verde por habitante;
  • Queda de 47% para 19% no uso de transporte individual no centro de Liubliana entre 2003 e 2013. No mesmo período, o uso do transporte coletivo passou de 20% para 27,7% e quantidade de pedestres de 33% para 53,3%;
  • 51 coletores subterrâneos de resíduos substituíram 3.500 contêineres;
  • Em 2012, a cidade foi vencedora do Prêmio Europeu de Espaço Público Urbano.

Saiba mais.

Fontes: Cidades Sustentáveis, Ljubljana.si