Crianças e Sustentabilidade: dicas para ensinar hábitos saudáveis para a vida nas cidades

As bicicletas serão responsáveis por boa parte de nossa mobilidade no futuro das cidades. (Foto: Kenny Stoltz)

Nunca se falou tanto de um mundo sustentável como hoje em dia, mas é óbvio e visível o que pode acontecer às populações mundiais se não se começa, através das novas gerações, a criar uma mentalidade de economia e de uso consciente dos meios de sobrevivência. É uma educação que no fim todos se beneficiam, criando  uma sociedade mais coerente no que se refere ao consumo exacerbado e culturalmente falando mais ecológicas e preocupadas com a divisão justa de alimentos, água, energia, e outros.

1. Comprar objetos usados/reciclados e optar por uma mobilidade mais sustentável

Comecemos com deixar mais o carro na garagem. Por que não fazer um belo passeio com seu filho no seu bairro à pé, de mãos dadas com o seu pequeno? Outra boa ideia é comprar uma bicicleta infantil usada ao invés de uma nova, assim já é uma forma de reciclar, divertir-se e ainda faz muito bem para a saúde do seu filho.

2. Economia de água

Tem muita gente no mundo que sofre com a falta de água, já o Brasil tem vantagens nesse sentido e infelizmente apresenta dados de desperdício de água. Portanto, cabe aos pais como educadores ensinar um uso correto da água, propondo tempo para realizar o banho, ou sugerindo atividades até com uma música, na qual quando esta termina, é chegado o momento de encerrar o banho.

3. Energia Elétrica

Nesse mesmo ponto entramos no assunto da economia de energia elétrica. Ou seja, os cômodos não utilizados devem obrigatoriamente ter as luzes apagadas. Assim como objetos eletrônicos que não estão em uso, preferencialmente, tirar da tomada para não consumir energia desnecessária.

4. Alimentação

Falando agora de alimentos, o ponto principal é o completo consumo dos mesmos. A criança pode aprender que as frutas bem maduras se podem fazer sucos docinhos e saborosos. Com os restos de pão a farinha de rosca ou o pudim de pão. O conceito de não jogar a comida fora e consumi-la de maneira criativa e na sua totalidade é de extrema importância. Outra ação  bacana de se fazer é levar o seu pequeno à feira, criando assim o hábito na criança de sempre comprar alimentos frescos e naturais.

E para fechar com chave de ouro: criar uma horta em casa, no seu quintal para quem mora em casa ou em diversos vasos para quem mora em apartamento. Instaura-se assim o conceito do cuidado que se deve ter com uma planta, verdura, hortaliça, fruta e em contrapartida o sustento que esta oferece!

As feiras livres fazem parte do dia a dia de milhões de brasileiros, mas podem se tornar ainda mais centrais para um desenvolvimento urbano mais sustentável. (Foto: Artur Luiz dos Santos)