Plano Diretor Estratégico de São Paulo prevê a redução das áreas de estacionamento

São Paulo: Plano Diretor Estratégico prevê a diminuição das áreas de estacionamento e a qualificação do espaço público (Foto: Bruna Vieira Silva)

No último dia de junho, ainda em meio à agitação da Copa do Mundo, São Paulo aprovou seu Plano Diretor Estratégico (PDE), depois de nove meses de debate. E o projeto que vai guiar o desenvolvimento da cidade pelos próximos 16 anos inclui uma das políticas de estacionamento mais ousadas já aplicadas por uma grande cidade em desenvolvimento.

A cidade está em vias de acabar com a norma que exige a construção de uma quantidade mínima de estacionamento nos empreendimentos comerciais e residenciais – e, se o fizer, será pioneira entre as megacidades de países em desenvolvimento.

O PDE determina que as vagas de garagem para empreendimentos residenciais sejam limitadas a uma por unidade habitacional, a fim de conter a expansão da frota de veículos. Nas áreas comerciais e mistas, as vagas ficam limitadas a uma por unidade, mais uma para cada cem metros quadrados de área construída. A lógica é simples: quanto mais espaços criados para os carros, mais carros aparecerão para ocupá-los. Reduzindo o espaço, deixa-se de priorizar os carros.

O novo plano também traz alguns elementos de Desenvolvimento Orientado ao Transporte (DOT), como estímulos ao adensamento populacional ao longo dos corredores de ônibus e no entorno de estações, calçadas mais amplas e acessíveis e a destinação de 10% da área construída de empreendimentos para habitação social.

As medidas foram pensadas para promover uma melhor distribuição dos elementos da cidade e permitir que os moradores possam morar, trabalhar, estudar e satisfazer demais necessidades cotidianas sem a necessidade de empreender grandes deslocamentos. O acesso facilitado aos sistemas de transporte coletivo, acompanhado pelo desestímulo do uso do carro e pela redução do número mínimo de vagas de estacionamento, tem o potencial de mudar a dinâmica de São Paulo, incentivando opções mais sustentáveis de transporte e, consequentemente, qualificando o espaço público.

Confira mais detalhes sobre as propostas do novo Plano Diretor de São Paulo.

Fontes: Cities Today, Planeta Sustentável, Rede Brasil Atual