As 50 cidades mais resilientes do mundo

Vancouver, no Canadá: o que torna uma cidade resiliente? (Foto: Grosvenor Research Report)

Resiliência define a capacidade de recuperação e adaptação de uma cidade ao enfrentar eventos adversos, sejam eles problemas sociais – desemprego, violência, déficit de moradia – ou desastres naturais – furacões, tsunamis, inundações. E, em um cenário que prevê o crescimento populacional, em paralelo às mudanças climáticas já em curso, é preciso repensar o futuro. O planejamento das cidades, considerando infraestrutura e crescimento, precisa levar em conta os impactos que essas cidades podem vir a sofrer. Você imagina quais cidades no mundo encabeçam a lista das mais resilientes?

Recentemente, analistas do Grosvenor Group, com apoio de pesquisadores da universidade de Cambridge, publicaram o relatório Resilient Cities, que revela quais são as cidades globais mais resilientes e o que as coloca nessa posição. A pesquisa montou um ranking com as 50 maiores metrópoles do mundo, considerando a capacidade de adaptação e a vulnerabilidade de cada uma e o coeficiente que resulta das duas, a chamada resiliência.

O estudo explica: “Vulnerabilidade é o indicador que trata dos impactos sofridos pelas cidades, considerando magnitude e frequência.” Trata-se de impactos relacionados a mudanças climáticas, degradação ambiental, problemas de infraestruturas, conflitos sociais ou à escassez de recursos.social. No outro lado, para medir a capacidade de adaptação, foram analisados governança, organização institucional, sistemas de planejamento, estruturas de fundos de recursos financeiros, além do aparato técnico para adaptação.

Nova York, em primeiro no ranking da capacidade de adaptação, é destacada no estudo pelas velocidade com que costuma pôr em prática projetos e medidas, como a criação de mais espaços verdes e o replanejamento das vias. As brasileiras da lista, por outro lado, não têm o mesmo desempenho. Rio e São Paulo foram consideradas “centros urbanos pressionados a crescer, mas cujas infraestruturas não acompanham no mesmo passo o aumento de suas respectivas classes médias”.

Confira abaixo e lista com as dez primeiras em cada indicador, incluindo a posição das brasileiras, e clique aqui para ver o estudo completo.

As cidades mais resilientes

  1. Toronto (Canadá)
  2. Vancouver (Canadá)
  3. Calgary (Canadá)
  4. Chicago (EUA)
  5. Pittsburgh (EUA)
  6. Estocolmo (Suécia)
  7. Boston (EUA)
  8. Zurique (Suíça)
  9. Washington (EUA)
  10.  Atlanta (EUA)

 41. São Paulo

 45. Rio de Janeiro

As cidades mais vulneráveis

  1. Jacarta (Indonésia)
  2. Daca (Bangladesh)
  3. Mumbai (Índia)
  4. Manila (Filipinas)
  5. Guangzhou (China)
  6. Cairo (Egito)
  7. Cidade do México (México)
  8. Rio de Janeiro
  9. Nova Déli (Índia)
  10. Xangai (China)

 12. São Paulo

As cidades com maior capacidade de adaptação

  1. Nova York
  2. Toronto
  3. Los Angeles
  4. Washington
  5. Chicago
  6. São Francisco
  7. Houston
  8. Estocolmo
  9. Boston
  10. Pittsburgh

 40. São Paulo

 46. Rio de Janeiro

 Fonte: Planeta Sustentável