UN-Habitat e Federação Europeia de Ciclistas: parceria para fortalecer a bicicleta como meio de transporte

(Foto: Claudio Olivares Medina/Flickr)

A promoção da bicicleta como meio de transporte ganhou mais força no início deste mês com o Termo de Cooperação assinado pela UN-Habitat, programa de desenvolvimento urbano da ONU, e pela Federação Europeia de Ciclistas (ECF). Voltado à promoção do ciclismo como um meio de transporte sustentável, o documento tem como objetivo unir esforços e engajar governos e organizações não governamentais de norte a sul no desenvolvimento sustentável das cidades com foco na caminhada, no ciclismo e no transporte público.

Transformar os padrões de mobilidade urbana e incentivar a bicicleta como meio de transporte é a principal meta do Termo. Ao engajar gestores públicos e ONGs na defesa da bike, bem como ressaltar seus benefícios relacionados à sustentabilidade e eficiência nos centros urbanos, as cidades serão encorajadas a criar planos e políticas públicas sólidas para sua promoção.

Esta é uma parceria de força. A UN-Habitat é um importante ator no processo de urbanização sustentável das Nações Unidas que atua em várias frentes, uma delas a mobilidade urbana. Já a ECF visa fortalecer a comunidade ciclistas e dar voz a nível internacional a ela, além de incentivar mais pessoas a pedalarem nas cidades. A ECF conta com membros de 40 países.

No documento, a UN-Habitat e a ECF também se comprometeram a compartilhar com as cidades seu conhecimento em mobilidade urbana e desenvolvimento sustentável. As organizações vão trabalhar, juntas, para promover a mobilidade sustentável, em especial a bicicleta, a nível mundial em áreas urbanas, guiando a construção e o fortalecimento de políticas públicas voltadas ao tema.

O fortalecimento do transporte sustentável, além de ser eficiente no contexto urbano, é fundamental para evitar e mitigar emissões de gases do efeito estufa. Ao criar políticas para seu incentivo, os governos têm a chance de amenizar os índices preocupantes de emissões de poluentes que crescem a cada ano e têm como principal gerador o setor de transportes, que é responsável por 80% das emissões no mundo todo.

Fonte: Cities Today