A pergunta de um trilhão de dólares: de onde vem o investimento dos transportes?

Texto publicado originalmente em inglês por  e  no TheCityFix.

Obras de uma estação de metrô em Mysore, India. O setor de transportes tem um grande impacto nos impactos econômicos e ambientais nos países desenvolvidos e em desenvolvimento. (Foto: Samuel Raj/Flickr)

Quanto dinheiro é gasto em sistemas de transporte globais? E de onde esse dinheiro vem?

Essas são questões cruciais. As cidades de todo o mundo irão comportar 274 mil pessoas todos os dias durante os próximos 30 anos, e os líderes urbanos já estão tendo que lidar com formas de investir em soluções que possibilitarão que a população em crescimento viva com segurança e mobilidade. Para isso, é necessário um investimento significativo por parte dos governos e dos negócios em redes de transportes. No entanto, os investimentos públicos e privados em transportes nunca haviam sido exaustivamente calculados – até agora.

Um novo estudo do World Resources Institute (WRI), da rede EMBARQ e do programa Climate quantifica o capital investimento em transportes no mundo todo. Baseando-se em dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD), do Fundo Monetário Internacional (FMI), Banco Mundial e outros, The Trillion Dollar Question aponta que o investimento global em transportes está entre US$ 1,4 trilhão e US$ 2,1 trilhões todos os anos, o suficiente para financiar o orçamento do metrô de Nova York 88 vezes. Esse número também está em algum lugar entre o PIB do México e Reino Unido. Sob qualquer ponto de vista, a quantidade é enorme. A maior parte deste investimento vem do setor privado e vai para as grandes economias, como os Estados Unidos e o Japão.

Estes resultados têm implicações significativas – para as cidades e hoje e para investir nas futuras cidades que queremos.

PLANEJANDO HOJE PARA AS CIDADES DE AMANHÃ

É bem documentado que o setor de transportes tem grande impacto sobre a perspectiva econômica e ambiental para as cidades tanto nos países desenvolvidos quanto para os em desenvolvimento. Investimentos em infraestrutura de transporte são particularmente influentes, uma vez que as estradas, os trilhos e as estações que construímos hoje permanecerão por décadas.

Mais importante ainda, esses investimentos vão ditar o desenvolvimento urbano a longo prazo e os padrões de consumo dos recursos. Por exemplo, se os índices atuais de infraestrutura e crescimento econômico continuarem, a China sozinha terá mais carros em 2050 do que os já existentes em todo o mundo hoje. Esta explosão de carros geraria mais poluição do ar e mudança climática de combustível, e traria preocupações de segurança para motoristas e pedestres. Para reverter esta tendência “carrocêntrica”, precisamos mudar os recursos de transporte em que investimos. O primeiro passo para influenciar o desenvolvimento de transporte global é buscar o capital e identificar como obter financiamento na direção certa.

Nessa frente de atuação, a pesquisa WRI oferece algumas ideias iniciais – particularmente sobre o papel do setor privado.

O PAPEL DO SETOR PRIVADO NO NOSSO FUTURO DOS TRANSPORTES

A pesquisa do WRI conclui que o setor privado é um grande jogador nas finanças globais em transporte. Enquanto o investimento público é responsável por US$ 569 a US$ 905 bilhões de dólares por ano, o setor privado destina entre US$ 814 bilhões e US$ 1,2 trilhões. Três quartos desse investimento ocorre em países de alta renda.

O maior papel do setor privado em investimentos de transporte também é mais pronunciado nos países ricos, onde o clima de investimento é mais favorável (ou seja, menos arriscado). Cerca de 62% do investimento em países de alta renda vêm de fontes privadas, em comparação com os 44% de investimento em países de rendas baixa e média. Investimentos advindos da União Europeia, Estados Unidos e Japão respondem por 80% do investimento total mundial privado. O financiamento público vem quase que exclusivamente dos orçamentos nacionais (98%), com o resto da ajuda internacional (cerca de US$ 14 bilhões) e fundos climáticos (menos de US$ 2 bilhões).

Investimento Privado em Transportes. (Gráfico por EMBARQ)

No entanto, o investimento privado em redes de transportes das economias emergentes pode não ser modesto por muito mais tempo. Dados do Banco Mundial revelam que a participação privada no transporte em países de renda baixa e média cresceu 400% entre 1990 e 2012, o que sugere que as oportunidades para o retorno do investimento em transporte no mundo em desenvolvimento são vistos mais positivamente do que no passado.

Ao passo em que a maciça urbanização do mundo continua, há grandes expectativas e oportunidades para o papel contínuo da iniciativa privada no setor de transportes – tanto em nações desenvolvidas quanto nas em desenvolvimento. Na última semana, por exemplo, o Transforming Transportation 2014 incidiu sobre o tema “Melhores Cidades, Melhores Negócios”. Prefeitos, líderes empresariais e especialistas em transportes de todo o mundo se reuniram para examinar as oportunidades do setor privado para fazer avançar a agenda da mobilidade urbana sustentável nas cidades.

O CAMINHO À FRENTE: INVESTIR EM SOLUÇÕES DE TRANSPORTE SUSTENTÁVEL

Enquanto identificar o montante investido no transporte global seja um importante ponto de partida, a quantificação do volume de investimento em transporte sustentável, como transporte público, ciclovias e passarelas de pedestres, é um passo crucial. Atualmente, o investimento nos países em desenvolvimento favorece o transporte intensivo de carbono, colocando esses países no caminho do desenvolvimento autocentrado insustentável já embutido em muitas partes do mundo desenvolvido. Cerca de 80% da carteira de transportes do Banco Asiático de Desenvolvimento e a maioria dos investimentos privados em todos os setores nos países em desenvolvimento são para estradas e rodovias em vez de sistemas de transporte sustentável.

A fim de catalisar o investimento em meios de transporte sustentáveis que reduzam o impacto humano sobre o meio ambiente e melhorar a qualidade de vida nas cidades, precisamos de mais detalhes. O monitoramento dos fluxos de investimento a partir de fontes públicas e privadas fornece um trampolim para a faixa de investimentos em transporte sustentável. Mais importante, ele estabelece as bases para o desenvolvimento de estratégias para aumentar os investimentos em infraestrutura de transportes que favoreça as pessoas, e não automóveis.

Acesse o estudo completo.

Tradução: Luísa Zottis, TheCityFixBrasil.