Hamburgo quer banir carros em 20 anos

Projeto da criação da Rede Verde prevê 40% da cidade coberta por área de vegetação. (Foto: reprodução)

Em 15 a 20 anos será possível explorar a cidade exclusivamente de bike e a pé” – Angelika Fritsch, porta-voz do departamento de planejamento urbano e meio ambiente de Hamburgo ao The Guardian

Segunda maior cidade da Alemanha, Hamburgo foi eleita a Capital Verde Europeia em 2011 e quer um futuro ainda mais promissor. A meta, agora, é a criação da Rede Verde, que vai conectar o centro aos subúrbios e interligar os parques da cidade com área verde e vias exclusivamente para pedestres e ciclistas.

Em até 20 anos, a a cidade vai cobrir 40% de seu território com vegetação. Com isso, pretende-se eliminar por completo a circulação dos carros na região central, mudando o paradigma de que grandes metrópoles são feitas de concreto e de grandes avenidas. A grande questão não é a proibição, mas simplesmente a não necessidade de dirigir. Afinal, o que você prefere? Uma rede cercada de natureza, limpa e segura para circular a pé ou de bicicleta, ou congestionamentos quilométricos e poluição?

Além de levar qualidade de vida a seus moradores – estudos mostram que a satisfação de viver perto de áreas verdes é semelhante a casar-se, a medida é uma resposta às mudanças climáticas. Nos últimos 60 anos, a temperatura média na cidade aumentou 9ºC, e o nível do mar subiu 20 centímetros.

A ambição de Hamburgo vai contra tudo o que temos em mente quando pensamos em grandes metrópoles, com shoppings centers, telões tecnológicos e vida no asfalto. Prova disso é o ideal do departamento de planejamento urbano local:

A Rede Verde vai oferecer às pessoas oportunidades para caminhar, nadar, praticar esportes aquáticos, fazer piqueniques e observar a natureza na cidade. Isso reduz a necessidade de levar o carro para passeios de fim de semana fora da cidade e também reduz o dano ao meio ambiente, disse Fritsch.

Cidade será tomada pelo verde e áreas de pedestres e bicicletas integrará todos os parques. (Foto: reprodução)

Hamburgo. (Foto: reprodução)

Fonte: The Guardian, Portugal News