Transformando as ruas por mais segurança

Projeto do grupo Walk San Francisco para garantir segurança aos pedestres (Foto: Divulgação)

Em 2013, a cidade de San Francisco (Califórnia-EUA), viu um número quase recorde de pessoas mortas nas ruas enquanto caminhavam ou andavam de bicicleta: 21 pedestres e quatro ciclistas foram vítimas de acidentes de trânsito letais – o número mais alto desde 2007. Como impedir que mais pessoas tenham o mesmo destino?

O grupo Walk San Francisco, organização que trabalha em prol de pedestres e ciclistas, desenvolveu um projeto em que a área das calçadas é levemente estendida, ocupando um pouco mais de espaço nas vias nos locais de travessia. Com a construção de pequenos canteiros elevados, o projeto criaria “zonas de freio”, protegendo os pedestres e colocando-os em maior evidência para os motoristas.

O desenho foi pensado para criar um espaço em que as pessoas possam esperar em segurança para atravessar a rua, diferente do modelo atual, que obriga os pedestres a se apressarem na travessia para que não sejam atingidos. Trata-se, acima de tudo, de espaços públicos híbridos, que contribuam para diminuir o número de acidentes e ao mesmo tempo proporcionem um local de descanso para os pedestres. (Veja mais fotos aqui.)

Visão Zero

O projeto do grupo segue a linha do Vision Zero Initiative, um modelo desenvolvido na Suécia para repensar a segurança viária e acabar com as mortes de pedestres e ciclistas. O conceito que fundamenta a iniciativa é o de que o sistema viário precisa nos manter em movimento, mas também deve ser planejado para nos manter em segurança. Uma frase resume o programa sueco: nenhuma vida perdida é aceitável.

O Vision Zero leva dois pontos principais em consideração: freedom to move, liberdade para se movimentar, e the human fator, o fator humano.  O primeiro trata da mobilidade, símbolo da liberdade e progresso e um dos principais propulsores do crescimento econômico, e ao mesmo tempo a causa de centenas de milhares de mortes todos os anos. O objetivo do programa é provar que nós podemos nos movimentar livremente, mas também em segurança. Já o fator humano considera um ponto crucial: todos somos humanos e podemos cometer erros. Daí a importância de dirigir e circular com prudência e responsabilidade.

 

Mobilidade em segurança

A inciativa sueca fez o índice de mortes envolvendo pedestres cair pela metade nos últimos cinco anos. Começando pelo replanejamento das faixas de segurança e locais de travessia das ruas, o grupo Walk San Francisco espera contribuir para resultados positivos também na cidade californiana. Por enquanto, a administração de San Francisco se mostrou interessada no projeto e planeja um encontro com o grupo. O objetivo é testar o novo design na rua que corta o centro da cidade e, se der certo, expandi-lo pela cidade.

Por trás de ambas as iniciativas, e de tantas outras em todo o mundo, reside a mesma questão: tornar as cidades lugares mais humanos, em que pedestres, bicicletas e automóveis possam circular com segurança.

Fontes: Catraca Livre, Vision Zero Initiative, Walk San Francisco