Cinco oportunidades para o transporte no século 21

Texto originalmente publicado em inglês por Holger Dalkmann e Jose Luis Irigoyen, no TheCityFix em 16 de janeiro de 2014.

Travessia de pedestres em Belo Horizonte, uma cidade de cerca de 2,5 milhões de habitantes no sudeste do Brasil. Um maior enfoque em cidades consideradas de médio porte pela comunidade internacional está entre as cinco oportunidades identificadas pelos co-organizadores e organizações parceiras por trás do Transforming Transportation para mover a sociedade em direção ao transporte do século 21. (Foto: EMBARQ)

O mundo está em meio a uma urbanização sem precedentes, com cidades que comportarão 5,2 bilhões de habitantes até 2050. Um dos grandes desafios do século 21, portanto, é alcançar um futuro sustentável para as nossas cidades. E o transporte – que liga as pessoas a oportunidades econômicas, educação, serviços de saúde, e muito mais – pode construir ou destruir “O Futuro Que Queremos”.

As decisões tomadas nas cúpulas internacionais neste e no próximo ano irão estabelecer o quadro de ação global para as próximas décadas. O futuro impacto do setor de transportes no que tange à mobilidade, congestionamento, oportunidade econômica, saúde humana e mudanças climáticas será determinado pelas escolhas que fazemos hoje. Para garantir o transporte contribua na redução da pobreza e na partilha da prosperidade, é necessária uma mudança no modo como os sistemas de mobilidade urbana são planejados e projetados. Construir um futuro do transporte sustentável exigirá uma abordagem integrada com a colaboração múltipla: dos líderes das cidades e dos transportes, bem como das comunidades de desenvolvimento e negócios.

Neste espírito, a equipe de co-organizadores e organizações parceiras por trás do Transforming Transportation – uma conferência de dois dias que inicia hoje e que reúne líderes empresariais, políticos e gestores públicos e operadores de transportes – identificou cinco oportunidades para mover a sociedade humana para o transporte do século 21. Estas áreas de ação incluem: segurança viária, cidades de médio porte, governos locais e regionais, finanças, dados e tecnologia.

Segurança Viária e Cidades do Futuro

Em primeiro lugar, a segurança viária é uma necessidade vital das nossas cidades. Nós perdemos uma quantidade extraordinária de capital humano e econômico das 1,2 milhões de vidas ceifadas globalmente por colisões de trânsito a cada ano. Países de renda baixa e média são responsáveis por 92% dessas mortes, 45% das quais ocorrem em áreas urbanas. Isto custa às economias emergentes entre 1% e 2% do seu Produto Interno Bruto – PIB, estimados em mais de 100 bilhões de dólares por ano. E a segurança viária também é um grande problema nas economias desenvolvidas. Nos Estados Unidos, por exemplo, 86% das mortes no trânsito ocorrem  num raio de 16 quilômetros de áreas urbanas.

Nós podemos ajudar a evitar essa perda, tornando as cidades mais seguras por meio de projetos de transporte sustentável e de políticas que visem reduzir o tráfego de automóveis, melhorem o transporte de massa, promovam o ciclismo e a caminhada. Há um crescente corpo de pesquisa que aponta para os benefícios de segurança de transporte sustentável, bem como os muitos benefícios que vão desde a redução da poluição do ar, redução das mudanças climáticas e do congestionamento. Se fizermos esta abordagem holística para o desenvolvimento urbano e da acessibilidade, podemos criar cidades melhores para as pessoas e para o planeta.

Em segundo lugar, precisamos de um foco maior nas cidades de médio porte. Megacidades com populações acima de 10 milhões de habitantes – como Pequim, Mumbai, São Paulo e Cidade do México – são muitas vezes o alvo de desenvolvimento das finanças e da atenção nacional. Cidades de médio porte, com população entre um e cinco milhões, são negligenciadas. Nós não podemos atender às necessidades dos cidadãos em todo o mundo focando apenas nas capitais e grandes cidades. As cidades de médio porte são o lugar onde a próxima onda de crescimento urbano ocorrerá – elas estão crescendo mais rápido do que as megacidades e vão contribuir mais para o crescimento econômico global até 2025. Precisamos ampliar nosso escopo de atuação para cidades como Jinan, na China, Indore, na Índia; ou Belo Horizonte, Brasil – onde o crescimento da população em expansão será acompanhado por uma crescente demanda por serviços de transporte. Um maior enfoque nas cidades de médio porte como estas oferece a oportunidade para evitar efeitos que provaram ser uma barreira para a criação de sistemas de transporte sustentáveis. O planejamento antecipado pode ajudar as cidades de médio porte a adotar uma baixa emissão de carbono, que é o caminho do crescimento sustentável.

Três Facilitadores para o Crescimento do Transporte Sustentável

Também pode tocar em três facilitadores para ajudar as cidades a descobrir todo o seu potencial, beneficiando suas economias e melhorando a qualidade de vida dos seus cidadãos: os governos regionais e locais, a economia do transportes, e os dados e a tecnologia.

A força dos governos regionais e locais constroi a vontade política e a capacidade técnica para implementar soluções de transporte integrado e de desenvolvimento urbano. Governança e liderança efetiva e transparente – que podem ser desenvolvidas e fortalecidas através da formação e partilha de conhecimentos – são pré-requisitos para o crescimento urbano sustentável e de desenvolvimento inclusivo.

As finanças são outro ingrediente fundamental para o êxito de projetos de desenvolvimento sustentável. Aproveitar o capital privado, o capital do clima e os investimentos nacionais é a chave para aumentar as soluções em transporte sustentável nas cidades ao redor do globo. Numa primeira tentativa de quantificar o investimento global público e privado em transporte de todos os modais, o World Resources Institute (WRI) estima que os investimentos anuais no mundo sejam entre US$1,4 trilhão e US$2,1 trilhões. Esta análise mostrou que o investimento privado em transporte – que recai entre US$814 bilhões e US$1.2 trilhões – é maior do que o investimento público anual, entre US$569 bilhões e US$905 bilhões. Esta diferença indica uma grande oportunidade de liderança para que o setor privado atenda as necessidades de transporte de forma sustentável, destinando investimentos para soluções sustentáveis, de baixo carbono – particularmente para os países com rápida taxa de urbanização e motorização.

E por último, mas não menos importante, o terceiro facilitador é o de dados e tecnologia. Tecnologias específicas para transporte, como cartões de integração e informação em tempo real disponível através de telefones celulares, já estão melhorando o desempenho da rede e de qualidade de serviço para os usuários. Tecnologias amplamente difundidas nos países desenvolvidos podem ajudar a melhorar a eficiência a um custo baixo. Por exemplo, a instalação de GPS ajuda a aumentar a eficiência das frotas de automóveis de duas rodas na Índia, com mais de 50 veículos oferecendo um melhor serviço aos clientes. Softwares e gerenciamento de dados também podem ajudar a entender os padrões de viagem e necessidades e gerenciar a operação dos sistemas de transporte, entre outros feitos. Tecnologia e inovação podem ajudar as cidades de economias emergentes a adotar estratégias integradas que reduzam a poluição, o consumo de energia e o congestionando – sem mais depender do carro. Ao compilar informações de transporte e grandes dados, a tecnologia promete aumentar o envolvimento dos cidadãos e capacitar os moradores da cidade para co-projetar soluções de transporte mais ágeis e sustentáveis do que nunca.

Atingindo as Cidades Sustentáveis que Queremos

As cinco oportunidades que descrevemos – segurança, cidades de médio porte, liderança regional e local, e tecnologia – podem fazer com que o transporte proporcione cidades mais inclusivas e prósperas. É somente através de um processo inclusivo que podemos aproveitar essas oportunidades antes de nós, e todos os residentes urbanos têm um papel importante a desempenhar neste esforço. Como o Transforming Transportation inicia hoje, nós encorajamos você a contribuir e influenciar as discussões que estamos tendo. Vamos trabalhar juntos em uma coligação para a mudança na direção do transporte do século 21 – o setor com potencial para tornar nossas cidades em centros sustentáveis de maior prosperidade, saúde e bem-estar para todos.

A EMBARQ, O programa de transporte urbano sustentável do World Resources Institute, e o Banco Mundial estão co-organizando o Transforming Transporation nos dias 16 e 17 de janeiro, em Washignton, D.C. (EUA). Junte-se ao debate nas mídias sociais com a hashtag #TTDC14, siga @EMBARQNetwork and @wbsustaindev on Twitter, e fique ligado nos sites www.transformingtransportation.org and World Bank LIVE para assistir paineis ao vivo.

Tradução: Luísa Zottis, do TheCityFix Brasil.