Transforming Transportation para cidades mais acessíveis e inclusivas

Artigo originalmente publicado em inglês por Holger Dalkmann e Jose Luis Irigoyen no TheCityFix, em 13 de janeiro de 2014.

Líderes no transporte, nodesenvolvimento, e, pela primeira vez, os setores empresariais estarão reunidos no Transforming Transportation esta semana em Washington, DC. (Foto: Andreas / Flickr)

As cidades são o motor do mundo para o crescimento econômico. Muitas delas ainda têm um longo caminho a percorrer em se tratando de assegurar trabalho, educação e assistência de saúde de modo seguro e acessível para seus cidadãos – em parte porque seus sistemas de transporte são inadequados e não sustentáveis. Esta fraqueza é visível – basta perceber as favelas e os trajetos dolorosos nas cidades que falham em prover opções acessíveis de transporte.

Transporte inadequado culmina em custos relacionados a qualidade do ar e de segurança. Pequim, na China, combate níveis perigosos de poluição do ar devidos, em grande parte, principalmente pelas emissões de veículos automotores. As maiores metrópoles da Índia, como Mumbai, Calcutá e Chennai e estão se expandindo horizontalmente ao invés de verticalmente, contribuindo com aumentos na distância das viagens e com as cerca de 550 mortes todos os dias em acidentes de trânsito. Em todo o mundo, as cidades são o local onde são emitidos até 70% dos gases do efeito estufa (GEE) que contribuem para as mudanças climáticas.

Sistemas de transporte pobres não somente impedem o crescimento econômico e de saúde das cidades, mas podem estimular distúrbios civis. Mais de 100 mil protestantes, por exemplo, se reuniram no Rio de Janeiro em junho do ano passado para reivindicar uma ampla gama de queixas, dentre elas a tarifa do transporte, serviços públicos de má qualidade apesar de altas taxas tributárias e outras questões urbanas.

Mas nestes desafios estão oportunidades significativas – especialmente para os setores empresarial e de transporte a nível municipal.

MELHORES CIDADES, MELHORES NEGÓCIOS

Sistemas de transporte público acessíveis e de alta qualidade tornam uma cidade atrativa para os investidores, criando assim mais oportunidades de trabalho. Um serviço confiável também promove inclusão e possibilita que todos os residentes se beneficiem do potencial de crescimento econômico de uma cidade.

Nesta semana, a EMBARQ – o programa de transporte urbano sustentável e de planejamento do World Resources Institute (WRI) – e o Banco Mundial estão co-organizando o Transforming Transportation, juntamente com um time organizações parceiras. O Transforming Transportation é um evento de dois dias que reunirá líderes empresariais, formuladores de políticas públicas, gestores públicos e operadores de transporte. Neste ano, o tema do evento é “Melhores Cidades, Melhores Negócios”. Ao contar com este grupo de stakeholders, nosso objetivo é compartilhar ideias e disseminar a mensagem de que os setores de negócis e de transportes podem trabalhar juntos para melhorar as cidades do mundo – beneficiando tanto a si próprios quanto milhões de residentes urbanos.

Tradicionalmente, os negócios não são vistos como fundamentais para melhoras as áreas urbanas, mas deveriam ser – 25 grandes cidades são responsáveis por aproximadamente 50% do PIB mundial. Melhorar as cidades é uma ação benéfica e gratificante para as empresas e também para os residentes urbanos. Globalmente, as cidades são o lar de mais de 3,5 bilhões de pessoas, mais de metade da população do planeta. As pessoas migram para as cidades à taxa de dezenas de milhões por ano porque as cidades reduzem a distância física entre as pessoas e as empresas. Lar de alguns dos mais pobres do planeta, as cidades oferecem mais oportunidades para uma melhor condição de vida. E as empresas estão frequentemente localizadas em cidades pelo mesmo motivo: a proximidade.

Numa corrida global para atrair e reter talentos, as cidades e as empresas devem se associar para criar lugares atrativos e dinâmicos para viver e trabalhar. Uma maneira imediata de como empresas podem contribuir para a melhoria das cidades é se envolvendo com o setor de transportes. Considere as seguintes oportunidades:

Na Cidade do México, o congestionamento obriga 20% dos trabalhadores a gastar mais de três horas se deslocando a trabalho todos os dias. No congestionamento crônico no Cairo, estima-se um custo de cerca de 8 bilhões de dólares por ano, cerca de 4% do PIB do Egito. Soluções de transporte sustentável podem recuperar o valor financeiro de horas de produtividade perdidas – a Linha 3 do sistema BRT (Bus Rapid Transit) da Cidade do México, o Metrobús, economizou 142 milhões de dólares em horas de viagem.

De modo similar, investir em infraestrutura de transporte sustentável aumenta a segurança viária para usuários de todos os modais de transporte, incluindo passageiros de transporte público, ciclistas e pedestres.

Em função de as colisões de trânsito causarem atualmente 1,2 milhões de vidas todos os anos e estarem previstas para ser a quinta causa de mortes até 2030, o investimento em pedestrialização e infraestrutura cicloviária poderiam significar uma reviravolta neste cenário. Um exemplo é a ampla e bem divulgada pedestrialização da Times Square, em Nova York, que também beneficiou os negócios, uma vez que o tráfego de pedestres aumentou; a Times Square se tornou um dos 10 destinos de maior sucesso para o comércio do mundo desde o começo dessa transformação. Uma mudança que foi benéfica para os residentes também está impactando a cidade e os negócios em grande escala. De Buenos Aires, a famosa Rua Florida, a Pandara em Nova Deli, Índia, as áreas de pedestres fazem sentido comercial: elas atraem turistas, compradores e trabalhadores durante uma pausa para o almoço.

TRABALHANDO JUNTOS PELA URBANIZAÇÃO SUSTENTÁVEL

Na crescente globalização e o mundo interconectado de hoje, não podemos operar em silos – seja no setor de negócios, de transporte ou de desenvolvimento. Melhorar as cidades de verdade, para o benefício de todos, exige uma ação conjunta e inter-setorial apreendendo todos os tipos de oportunidades – desde avanços em tecnologia até financiamento climático e mudanças na agenda global do desenvolvimento. Nós também precisamos seguir o exemplo de recentes inovações, como a indústria de compartilhamento de carro, que está em rápida expansão, ou reorganizações da frota de duas rodas, e pensar fora da caixa. A solução mais efetiva pode não ser necessariamente a de mais alta tecnologia, mas certamente vai exigir um pensamento criativo e colaborativo.

Há diversos marcos pela frente: das 20ª e 21ª Conferences of the Parties (COP 21)  ao United Nations Framework Convention on Climate Change (UNFCCC) em Lima em 2014 e Paris em 2015, bem como a definição das Metas de Desenvolvimento Sustentável (SDGs). Esses eventos-chave irão definir o quadro de ação global após 2015. O Transforming Transportation oferece uma oportunidade única para os negócios, para os especialistas em transportes e formadores de políticas públicas para estabelecer as perguntas certas e aprimorar questões que vão ajudar a moldar o meio-ambiente e a sustentabilidade social para as próximas décadas.

Para saber mais sobre como cidades melhores podem conduzir melhores negócios, fique ligado para a cobertura do Transforming Transportation no TheCityFix e TheCityFix Brasil nesta semana.

Você também é encorajado se engajar e ampliar o debate nas redes sociais utilizando a hashtag #TTDC14 durante a conferência. Siga @EMBARQNetwork e @wbsustaindev no Twitter para updates em tempo real. Acesse também o site www.transformingtransportation.org e World Bank LIVE  para streaming ao vivo de algumas sessões.

Tradução: Luísa Zottis do TheCityFix Brasil.