US$ 16 milhões por um Brasil mais ativo

Crianças brasileiras são as menos ativas da América Latina. Encabeçada pela Nike, a iniciativa quer combater o sedentarismo desde cedo. (Foto: divulgação/relatório Desenhado para o Movimento)

O sedentarismo está diretamente relacionado à obesidade e a doenças cardiovasculares. E engana-se quem pensa que só os mais velhos são prejudicados. Um estudo feito na América Latina aponta que as crianças do Brasil são as menos ativas. As consequências sociais e econômicas disso são inaceitáveis. E a principal delas talvez seja o fato de que os pequenos de hoje são a primeira geração a ter uma expectativa de vida menor que a de seus pais.

Se a tendência persistir, os brasileiros serão 34% menos ativos em 2030 do que eram em 2002, causando menor expectativa de vida, bilhões de dólares em custos com saúde e redução da produtividade humana.

Por essa razão, a Nike, em parceria com outras nove organizações líderes no Brasil, lançou a plataforma Desenhado para o Movimento. Juntos, os integrantes vão destinar até US$ 16 milhões em recursos por três anos para combater a epidemia de inatividade física. O anúncio foi feito ontem, durante a Clinton Global Initiative no Rio de Janeiro, pelo CEO da Nike, Mark Parker, ao lado de Bill Clinton, ex-presidente dos Estados Unidos, e outros líderes.

A estratégia é semear, desde cedo, a cultura da atividade física para formar adultos mais ativos e saudáveis. Assim, a verba será destinada à criação de experiências positivas nos esportes e no incentivo ao movimento como hábito diário. Parte dos esforços vão se concentrar no projeto piloto Escolas Ativas no Brasil, começando pelo Rio de Janeiro. O programa vai fornecer informações e ferramentas simplificadas para ajudar as escolas e comunidades a desenvolverem ambientes ativos para que as crianças possam se movimentar mais.

PONTOS CHAVE PARA A MUDANÇA

O corpo humano foi criado para se movimentar. Em 2010, a Nike, em parceria com mais de 70 organizações, iniciou um estudo para entender as razões e as consequências da inatividade física. O resultado foi o relatório “Desenhado Para o Movimento”, lançado ontem (9), em português.

“Para termos sucesso no combate à epidemia da obesidade infantil, é necessário dar maior ênfase à elevação dos níveis de atividade física em casa, na comunidade e no local de trabalho, e a estrutura para ação definida neste relatório propõe o que é necessário para acelerarmos o progresso.” – Bill Clinton, ex-presidente dos Estados Unidos, em depoimento no relatório

O documento também resultou num infográfico bem interessante com os resultados chave da publicação.

Clique na imagem para ver completo: 

Clique para visualizar o infográfico completo.

Saiba mais:

O grupo de líderes brasileiros do Desenhado para o Movimento, que faz parte do compromisso de US$ 16 milhões, inclui:

  • Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD)
  • Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro (SME)
  • Secretaria Municipal de Esporte e Lazer do Rio de Janeiro (SMEL)
  • Instituto Bola Pra Frente
  • BMZ (Bundesministerium für wirtschaftliche Zusammenarbeit)
  • Central Única das Favelas (CUFA)
  • CAIXA
  • Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID)
  • Natura
  • NIKE, Inc.

A rede EMBARQ também é parceira da iniciativa, ao lado dos seguintes líderes:

  • Atletas pelo Brasil
  • Comitê Olímpico Brasileiro
  • Comitê Paralímpico Brasileiro
  • Sociedade Brasileira de Atividade Física e Saúde
  • GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit)
  • Embarq
  • EY
  • Instituto Trevo
  • Instituto Ayrton Senna
  • Ministério das Cidades do Brasil
  • Ministério do Esporte do Brasil
  • MOVE Associação Brasileira de Artigos Esportivos
  • One World Futbol Project
  • Petrobras
  • Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física São Caetano do Sul (CELAFISCS)
  • Serviço Social da Indústria (SESC)
  • Serviço Social do Comércio (SESI)
  • Special Olympics Brasil
  • Centro de Práticas Esportivas – Universidade de São Paulo (CEPEUSP)
  • Rede Esporte pela Mudança Social (REMS)
  • Representação da UNESCO no Brasil
  • Fundo das Nações Unidas para a Infância, Brasil
  • ONU-Habitat, Escritório Reginal para América Latina e Caribe
  • USAID/Brasil