Salvando vidas com transporte sustentável

Metrobús, na Cidade do México: mais segurança nas vias (Foto: Mariana Gil/EMBARQ Brasil)

Uma nova pesquisa da EMBARQ mostra que investimentos em projetos de transporte sustentável, como Metrobús da Cidade do México, podem reduzir acidentes de trânsito e salvar vidas

O financiamento e os critérios de avaliação de projetos e políticas de transporte sustentável muitas vezes ignoram um importante benefício: a segurança. Um crescente número de pesquisas aponta os benefícios de segurança trazidos pelo transporte sustentável, definido aqui como projetos e políticas que visam a reduzir os congestionamentos, melhorar o transporte de massa e promover o uso da bicicleta e a caminhada como formas de se locomover nas cidades.

Essa edição-resumo (clique na imagem para acessar o estudo) recapitula as evidências desses benefícios, com foco na aplicabilidade dos resultados em cidades de países em desenvolvimento. Onde há informação disponível, nós também fornecemos estimativas ma magnitude dos benefícios de segurança que foram registrados em projetos específicos.

Consideramos a relação entre segurança e quantidade de tráfego e apresentamos evidências de que o volume de trânsito (medido em quilômetros percorridos por veículo) é causa potencial para muitos acidentes. Com base em experiências na Europa, América Latina e Índia, a pesquisa mostra que cidades que restringiram a circulação de veículos e promoveram o transporte coletivo alcançaram consideráveis benefícios. Em Londres e Estocolmo, multas aplicadas sobre veículos circulando nos centros congestionados das cidades reduziram o volume de tráfego e viram o número de acidentes despencar. Em Bogotá, Guadalajara e Ahmedabad, sistemas BRT melhoraram a segurança nas vias por onde passam.

Nessa mesma linha, cidades que investiram em infraestrutura para ciclistas e pedestres, como Copenhagen, Minneapolis e Nova York, relataram melhorias de segurança para esses que são a parte mais vulnerável nas ruas. O sucesso obtido em Nova York e Copenhagen mostra que esses benefícios se estendem para outros usuários das ruas.

Para ter certeza, os benefícios de segurança do transporte sustentável, tanto motorizado quanto não motorizado, devem ser considerados à luz dos muitos outros fatores que determinam a segurança viária. Políticas que visam apenas os volumes de tráfego, por exemplo, não incluem os perigos relacionados a um planejamento ineficiente de infraestrutura. Ou seja, serviços de trânsito sem uma infraestrutura de alta qualidade e supervisão da segurança não trarão quaisquer benefícios de segurança. Além disso, também não se deve ignorar que, mesmo nas cidades mais amigáveis às bicicletas, os ciclistas ainda são mais vulneráveis que as pessoas nos carros. Apesar disso, os resultados apresentados neste estudo mostram que projetos e políticas de transporte sustentável bem planejados podem desempenhar um papel significativo no que diz respeito à melhoria da segurança viária.

Depois de estabelecer as evidências ligando o transporte sustentável à segurança nas vias, a pesquisa traça implicações para melhor integrar a segurança nos planos e políticas de transporte. O estudo concentra-se especificamente no envolvimento de cidades de países em desenvolvimento, que atualmente enfrentam altas taxas de mortalidade no trânsito e crescentes índices de motorização.

Concluímos listando áreas para futuras pesquisas, incluindo os impactos de segurança de outros modais de transporte (como os auto-rickshaws) e o desenvolvimento de políticas orientadas para o trânsito. Por fim, reconhecemos a necessidade de desenvolver estimativas dos impactos de segurança esperados de diferentes sistemas de transportes, a fim de que gestores e especialistas possam incluir os benefícios da segurança viária na relação custo-benefício na hora de tomar decisões para futuros investimentos.

Saving Lives with Sustainable Transport

Este texto foi originalmente publicado pela EMBARQ, aqui.