Depois do aluguel de bicicletas, agora é a vez do aluguel de capacetes

Hubway, sistema de aluguel de bicicletas de Boston (Foto: Cydney Scott)

De acordo com um estudo feito nas cidades de Washington e Boston pela Beth Israel Deaconess Medical Center, instituição afiliada de Harvard, pelo menos quatro em cada cinco pessoas que costumam alugar bicicletas não usam capacete. Para resolver o que é um dos maiores problemas de segurança dos sistemas de aluguel de bicicletas, Boston encontrou uma solução simples e inusitada: o aluguel de capacetes.

No momento que o aluguel de bicicletas cresce em todo o mundo – são 535 programas diferentes, de acordo com o Earth Policy Institute –, a máquina de aluguel de capacetes de Boston é uma forma de diminuir o problema, já que, no mesmo momento em que aluga a bicicleta, o ciclista pode facilmente alugar também um capacete.

HelmetHub, a máquina de aluguel de capacetes de Boston

Nicole Freedman, coordenadora do programa de bicicletas de Boston, levou esse desafio para uma turma de engenharia mecânica do MIT. E para projetar e tornar real uma máquina que permitisse o aluguel de capacetes foi preciso considerar uma série de empecilhos: o formato dos capacetes, a dificuldade de armazená-los, o fato de que as pessoas não gostariam de colocar na cabeça algo que já foi utilizado por outra pessoa, um mecanismo que realizasse a limpeza e, o maior deles, uma forma para os ciclistas conseguirem devolvê-los. A solução encontrada pelos estudantes do MIT foi colocar nos capacetes chips de identificação por frequência de rádio que ativam a porta da máquina. Dessa forma, os capacetes são recolhidos, limpados e liberados para serem alugados outra vez.

O resultado de todo esse planejamento foi a HelmetHub – o nome vem de Hubway, como é chamado o programa de aluguel de bicicletas de Boston. Inicialmente planejada para ser instalada em quatro das 130 estações do sistema, a máquina já teve mais dez unidades encomendadas. Cada uma disponibiliza 36 capacetes de tamanho único, e o aluguel por um dia custa dois dólares.

O estudo da Beth Israel Deaconess Medical Center, citado no início do texto, também inidicou que os ciclistas que não utilizam capacete, em comparação com aqueles que usam, têm 88% a mais de chances de sofrerem danos graves em um acidente. Ao criar uma maneira de facilitar o acesso ao capacete, Boston deu um passo a frente na segurança.

Saiba mais.

Fonte: Time U.S.