Entrevista: secretário Tuca Munhoz quer um transporte mais humano

Tuca Munhoz fala sobre transporte e acessibilidade. (Foto: Luísa Zottis/EMBARQ Brasil)

O secretário municipal adjunto da Secretaria da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Tuca Munhoz, 55, enfrentou, neste sábado (21), a realidade das ruas e do transporte coletivo paulistano. O destino? Parque Ibirapuera, onde estava localizada a linha de chegada do Desafio Multimodal, da Virada da Mobilidade. Assim que chegou no local, foi recebido com festa por outros participantes que já haviam vencido dificuldades semelhantes às enfrentadas por ele – não fosse um detalhe: Tuca é cadeirante, e nem sempre as ruas são gentis o bastante com quem não caminha.

“Sou extremamente favorável à restrição do automóvel, e à melhora do transporte coletivo. Precisa ocorrer uma inversão de prioridades, ou seja, o coletivo ao invés do individual”, acredita o secretário, que fez o percurso de cadeira de rodas motorizada, de metrô e de carona. “O grande ponto positivo é que consegui chegar, o que já é de grande importância. E, mesmo tendo vindo por uma região mais nobre, que é a de Pinheiros, encontrei calçadas irregulares e mesmo esburacadas. A maior dificuldade foi o trem, em função da distância e altura da plataforma. Mas fui bem auxiliado pelos profissionais da estação”.

Ele defende que o poder público deve investir cada vez mais e focado na qualidade dos modais por ônibus e a pé. “É um fator fundamental e basilar para as mudanças cultural e conceitual no desejo da população paulistana de se locomover”.

Uma questão paradoxal que o secretário também fez questão de frisar é o uso de transporte não motorizado pela população das periferias. “É uma questão cultural e invisível na cidade, como se a classe média só pedalasse a passeio, o que se reflete na política da ciclofaixa, operando aos domingos. Mas todas as camadas da população devem repensar o modal sustentável e as ciclovias têm que chegar às periferias urgentemente, isso é indispensável”. E, por fim, ele conclui: “É possível e eu acredito num transporte com qualidade e mais humanizado”.

Tuca na chegada ao Ibirapuera, onde é recebido por festa dos demais participantes. (Foto: Luísa Zottis/EMBARQ Brasil

(Foto: Luísa Zottis/EMBARQ Brasil)