Documentário mostra o dia a dia de passageiros de ônibus da zonal sul de São Paulo

(Foto: Prasad Kholkuteb)

Quanto tempo você leva no deslocamento de casa para o trabalho? O que você faria se tivesse esses minutos (ou horas) livres no fim do dia?

Uma pesquisa feita em quatro capitais brasileiras – São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Belo Horizonte – mostrou que o trânsito consome até três horas diárias do tempo das pessoas nessas cidades. Isso em relação àquelas que se deslocam de carro. Hoje, São Paulo já conta com 100 km de faixas exclusivas para o transporte coletivo, mas carros e ônibus ainda competem pelo espaço nas ruas de nossas cidades.

Quem mora na periferia, ou longe do local de trabalho, e depende do ônibus para se deslocar, pode perder até quatro horas por dia nas viagens. Diante disso, o coletivo Luta pelo Transporte do Extremo Sul lançou neste mês o documentário Terminal Grajaú: humilhação coletiva, que mostra o dia a dia dos passageiros de ônibus da zona sul da capital paulista.

São ônibus lotados, filas quilométricas e longas esperas. Os depoimentos da filmagem mostram que o deslocamento até o trabalho, para quem depende de um sistema de transporte muitas vezes ineficiente, pode ser mais cansativo do que o próprio expediente. O documentário mostra também uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo a respeito do lucro das empresas de ônibus na cidade, em contraste com a situação encontrada pelos passageiros. Assista:

Em um país onde 85% das viagens de transporte coletivo são feitas de ônibus, o cenário mostrado pelo filme aponta para a importância do investimento no setor. Para uma mobilidade urbana eficiente e de qualidade, o transporte coletivo precisa ser mais do que uma opção de transporte: deve ser a melhor opção.

  • Line Aylín Fdl

    Muitas pessoas me perguntam como suportar a distância da família, amigos e etc…

    Em entrevistas de empregos na minha nova cidade muitas pessoas até desconfiam da minha índole, se questionando o porque saí de São Paulo e me mudei para o nordeste, colocando a minha mudança/opção pela cidade até como uma coisa tão absurda, que dá a entender que ele quer dizer que saí devendo algo a alguém de São Paulo.

    Muitas pessoas não entendem ou acham que estou mentindo quando explico que saía as 4h da manhã de casa, passava por esse terminal aí do vídeo (Terminal Grajaú), e chegava as 8h no Senac Z/N, ou ainda chegava mais tarde que isso, e depois do trabalho chegava as 2h da MANHÃ ou mais em casa, morando em um bairro violento, em uma cidade complicada.

    Assistindo essas imagens, dá vontade de chorar… não há palavras para descrever, o quanto é humilhante, estressante, desgastante e como isso leva seu tempo, sua saúde, sua paz e seu descanso embora. Só quem sentiu na pele sabe, mas felizmente agora as pessoas podem entender um pouco melhor o que é passar MAIS DE 8 HORAS POR DIA NO TRANSPORTE PÚBLICO, graças a esse vídeo.