Mais R$ 795 milhões para a mobilidade urbana em SP

Só quem vive os problemas de mobilidade urbana em São Paulo e região metropolitana sabe, de fato, o quão grave é a situação de congestionamentos e lentidão enfrentados diariamente.

A boa notícia é que a presidente Dilma Rousseff e o ministro das cidades, Aguinaldo Ribeiro, anunciaram nesta segunda-feira (19) investimentos de R$ 2,1 bilhões provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2) para a região do Grande ABC.

A presidente e o ministro das cidades fizeram anúncio das verbas em São Bernardo do Campo, ontem (19). (Foto: Rodrigo Nunes/MinCidades)

Deste montante, a mobilidade urbana ganhou uma fatia significativa: R$ 795 milhões, sendo R$ 31,6 milhões para produção de projetos e R$ 761,3 milhões para a execução de obras.

A prioridade será o transporte coletivo por ônibus, com a construção de corredores dos corredores Guido Aliberti/Lauro Gomes/ Taioca (R$ 162,5 milhões), Alvarenga/Roberto Kennedy/Couros (R$ 306,3 milhões), Leste-Oeste (R$ 101,2 milhões), Sudeste (137,8 milhões), Centro de Controle Operacional e sistemas (R$ 5 milhões).

Os municípios beneficiados serão Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

 

(Foto: Alexandre Ferreira)

Prioridade já beneficia usuários de coletivo

Na capital paulista, a Folha de S. Paulo percorreu os 13 km de via exclusiva para ônibus, inaugurados semana passada, nas avenidas Senador Teotônio Vilela, na Cidade Dutra (zona sul), Interlagos e Washington Luís, até o viaduto Deputado Luís Eduardo de Magalhães, no Campo Belo (zona sul).

A equipe que utilizou o coletivo fez o trajeto em 29 minutos, das 6h47 às 7h16. Já o carro da reportagem demorou uma hora e 11 minutos.

Ontem, mais três faixas foram inauguradas. Confira no mapa elaborado pela Folhapress:

 

(Editoria de Arte/Folhapress)

Com informações do Ministério das Cidades e da Folha de S. Paulo