Missão Russa: delegação se despede do Brasil em workshop de encerramento

Grupo reunido e São Paulo ao fundo. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Chegou ao fim, nesta segunda-feira (12/08), a visita estratégica da delegação russa que passou por São Paulo, Curitiba e Rio de Janeiro em busca de boas práticas de transporte urbano, ao longo da última semana (05 a 12/08). Um workshop de encerramento foi realizado, no auditório da Rio Ônibus, para avaliar as percepções da jornada, e contou com a presença da diretora de Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, Luiza Gomide. A especialista apresentou um panorama geral sobre a mobilidade no país e a Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei 12.587/2012), vigente desde 2012. A missão russa ao Brasil foi realizada pelo Banco Mundial com apoio da EMBARQ Brasil.

Suzy dá as boas vindas ao grupo no auditório da Rio Ônibus, no Rio. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Suzy Balloussier, Relações Institucionais da Fetranspor, realizou a recepção e abertura do workshop, que contou ainda com as apresentações de Bernardo Alvim e Jen JungEun OH, especialistas em Transportes do Banco Mundial; Brenda Medeiros, gerente de Projetos de Transportes da EMBARQ Brasil; Vladimir Lugovenko, chefe-adjunto do Departamento de Política Estadual para Automóvel e Transporte Urbano de Passageiros do Ministério dos Transportes da Rússia; Igor Titov, diretor-geral do Instituto Científico de Pesquisa em Transportes a Motor (NIIAT); Kirill Lavrenov, chefe de Serviços do Diretório de Transportes dos Jogos Olímpicos da Rússia.

Banco Mundial e o transporte sustentável

O Banco Mundial é um grande parceiro dos governos brasileiro e russo. O banco auxilia os governantes tanto no levantamento de recursos e financiamento, quanto na parte de aprimoramento técnico de projetos ligados ao transporte sustentável. Em sua apresentação, Bernardo Alvim pontuou as diretrizes de participação do Banco no Brasil: equidade, desenvolvimento sustentável, macrofinanciamento sustentáveis, projetos com foco no transporte sustentável. “E isso tudo, sempre ligado ao fomento da capacidade e estrutura institucional de cada parceiro”, completa Alvim.

Alvim explica formas de trabalho conjunto entre Banco e Governo. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Jen JungEun OH, também especialista em transportes e desenvolvimento sustentável do Banco Mundial, conhece o lado dos visitantes. Em sua apresentação, fez um panorama do trabalho que está sendo feito ao lado do Governo Federal da Rússia, nos últimos meses, especificamente em projetos de transporte. Para a especialista é preciso achar um equilíbrio entre as necessidades urgentes com aquelas de longo prazo, aproveitando momento atual. “Esse é um momento para transformar os desafios em ações mais inteligentes de transporte, muitas delas vimos aqui no Brasil, durante esta missão”, diz a especialista. “Percebemos que tanto no Brasil quanto na Rússia o governo federal tem um papel fundamental, por isso deve tomar a linha de frente”, completa Jen.

Jen OH apresenta iniciativas conjuntas com o governo russo. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

EMBARQ Brasil e o transporte sustentável

A gerente de Projetos de Transportes da EMBARQ Brasil, Brenda Medeiros, apresentou a base do trabalho da rede EMBARQ – que possui centros na China, região Andina, Brasil, México, Índia e Turquia – e seus projetos específicos no Brasil. São cinco as áreas de atuação da equipe multidisciplinar de especialistas que trabalha para desenvolver o transporte sustentável nas cidades ao redor do mundo:

  • Saúde e Segurança Viária
  • Transporte Integrado
  • Desenvolvimento Urbano & Acessibilidade
  • Qualidade do Ar & Mudanças Climáticas
  • Comunicação & Marketing

Brenda Medeiros apresenta trabalho da EMBARQ Brasil, apoiadora da missão. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

As ações passam por realização de alinhamentos estratégicos para projetos BRT; Marketing para BRT; Auditorias de Segurança Viária; Simulação de sistemas de transporte coletivo, entre outras. “Na EMBARQ Brasil, acreditamos que a segurança viária é fundamental. A população só irá utilizar mais as ruas se realmente forem seguras. Queremos que as pessoas ocupem espaços de convívio e tenham qualidade de vida em suas cidades, por isso o trabalho de auditoria de segurança viária é importante. Ele indica pontos de risco ainda em fase de projeto”, conclui Brenda.

A Rússia e sua preocupação com a mobilidade

Dando sequência ao workshop, o chefe da delegação russa ao Brasil, Vladimir Lugovenko, iniciou sua apresentação com um agradecimento aos dias de trabalho dos envolvidos na missão: “Gostaria de iniciar agradecendo a todos que nos acompanharam nestes dias. Formamos praticamente uma família com o convívio. Obrigado aos organizadores EMBARQ Brasil e ao Banco Mundial por todo apoio no nosso país, e à Fetranspor pela recepção aqui no Rio”, disse.

Lugovenko durante apresentação. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Lugovenko falou sobre a evolução dos transportes na Rússia, que tradicionalmente aposta em transporte sobre trilhos, mas agora busca também outras alternativas para seus problemas de mobilidade. Atualmente, o governo desenvolve, com apoio do Banco Mundial, o Projeto Nacional de Melhoria dos Transportes Urbanos (NUTIP), com o objetivo de desenvolver as condições de mobilidade e reduzir os impactos negativos gerados pelo transporte, através de investimentos em infraestrutura e melhorias operacionais e tecnológicas. As sete diretrizes que compõem o projeto foram apresentadas por Lugovenko:

  • Criação de bases legais para desenvolvimento de sistemas e desenvolvimento urbano
  • Base legal para diminuição da circulação de automóveis
  • Adequação de transporte mais moderno
  • Medidas de caráter limitador ao uso do carro
  • Prioridade ao transporte público
  • Princípios modernos para desenvolvimento transporte
  • Avaliação da qualidade dos sistemas e organização do transporte e financiamento

“Temos um grande desejo de solucionar os problemas de mobilidade na Rússia. Nosso sistema foi organizado durante a União Soviética e tinha por objetivo ser 100% público. Na década de 60, muitos especialistas iam à Rússia conhecer nosso sistema, pois éramos exemplos. Mas era diferente, tínhamos poucos automóveis nas ruas e a economia também modificou muito”, explica o representante do Ministério dos Transportes daquele país.

Comitiva atenta ao workshop desta segunda-feira. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Atualmente, a Rússia já possui uma proporção de 300 automóveis a cada mil pessoas, de acordo com Lugovenko. Por isso, a necessidade de se pensar alternativas ao carro é urgente. “Demo-nos conta que construir mais estradas não vai resolver. Só um planejamento integrado de sistemas de mobilidade pode garantir a solução destes problemas”, afirma. “As mudanças nestas cidades que passamos proporcionaram resultados evidentes, por isso vamos levar muitas soluções importantes que conhecemos aqui”, finaliza ele.

Preparação para os megaeventos esportivos

Outros dois membros da comitiva da Rússia, Igor Titov e Kirill Lavrenov, apresentaram a preparação que o país montou para receber os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, na cidade de Sochi, e suas expectativas para a Copa do Mundo 2018. Os especialistas mostraram como foi elaborado o plano de mobilidade para os jogos, a partir das exigências do Comitê Olímpico Internacional.

Levrenov mostra plano de mobilidade elaborado para a Sochi, Rússia. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Levrenov explicou que o comitê olímpico local vem trabalhando desde 2009 no desenvolvimento e concretização de um plano integrado de transporte por ônibus e trem na cidade de Sochi. A mudança foi feita para servir à demanda esperada de 1 milhão de pessoas durante os jogos, além de ser um futuro legado para a população local. “As mudanças iniciaram de forma progressiva e planejada para que a população não sinta um impacto brusco com as mudanças. Assim, vão se habituando aos novos sistemas, de forma que em 2014 o sistema integrado estará totalmente em operação”, explica o chefe de Serviços do Diretório de Transportes dos Jogos Olímpicos da Rússia.

Titov apresenta dados esperados para a Copa 2018 na Rússia. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Também foram apresentados detalhes sobre a nova frota de ônibus que irá operar, sinais de trânsito específicos para orientação dos visitantes durante o período de jogos e estrutura dos teleféricos que servirão aos atletas, imprensa e demais visitantes.

O Brasil e a priorização do transporte coletivo

Luiza Gomide, diretora de Mobilidade do Ministério das Cidades, foi a responsável pela última apresentação e encerramento do workshop. A diretora realizou um breve histórico sobre a gestão e estrutura de responsabilidades da mobilidade no país, assim como detalhes sobre o Programa de Aceleração do Crescimento e Política Nacional de Mobilidade Urbana. “Estou muito feliz em aceitar o convite da EMBARQ Brasil e mostrar um pouco da experiência do Brasil sobre a nossa mobilidade”, iniciou Luiza.

Luiza Gomide explica detalhes da mobilidade brasileira. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

O cerne do trabalho da SEMOB – Secretaria de Mobilidade do Ministério das Cidades é desenvolver e apoiar políticas públicas de transporte e circulação que promovam o deslocamento para todos de forma ambientalmente sustentável. Por isso, também congruentes com a Nova Lei, os projetos contemplados no PAC Mobilidade Grandes e Médias Cidades são aqueles que priorizam o transporte coletivo – projetos de sistema estruturantes de transportes, como revitalização do passeio urbano, BRTs e metrô.

A diretora da SEMOB ainda explicou sobre a divisão dos grupos do governo federal responsáveis por coordenar as ações relacionadas à Copa – o CGCOPA, Comitê Gestor; e o GECOPA, Grupo Executivo – e apresentou algumas dificuldades encontradas para o desenvolvimento de projetos previstos no PAC, como a falta de preparo técnico e a dificuldade na obtenção de recursos e licenças ambientais.

Grupo esclarece dúvidas com a diretora de mobilidade do Ministério das Cidades. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Ao final, Luiza esclareceu dúvidas dos presentes após apresentar as principais diretrizes da Política Nacional de Mobilidade, que prioriza o transporte coletivo em detrimento do individual, promove a integração entre os modais e incentiva o transporte não motorizado. A lei também exige que municípios com mais de 20 mil habitantes elaborem seus planos de mobilidade, com participação popular e acessibilidade universal. “Nosso objetivo é ofertar mais sistemas de transporte coletivo de qualidade para o cidadão optar por estes sistemas ao invés do carro. Assim poderemos mitigar os impactos que o uso irracional do automóvel acarreta”, esclareceu.

No encerramento, o presidente da Fetranspor, Lélis Teixeira, cumprimentou a comitiva russa, que se despediu do Brasil nesta segunda-feira.

Lélis Teixeira e o grupo após o workshop. (Foto: Mariana Gil / EMBARQ Brasil)

Sobre a Missão Russa ao Brasil

Com o objetivo de buscar inspiração e aprofundar conhecimentos técnicos para seus projetos de mobilidade, uma comitiva do Governo Russo visitou três capitais brasileiras: São Paulo, Curitiba e Rio de Janeiro, ao longo da última semana (05 a 12/08). O grupo que compôs a missão – realizada pelo Banco Mundial com apoio da EMBARQ Brasil – foi formado por representantes do Ministério de Transportes da Rússia, vice-prefeitos, pesquisadores e outros envolvidos com projetos de transporte ligados a megaeventos esportivos. Com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e novas políticas públicas voltadas à mobilidade urbana, as cidades que receberão o grupo destacam-se pelas populosas regiões metropolitanas e recentes investimentos nos sistemas de transporte coletivo.

A delegação russa esteve em São Paulo, Curitiba e Rio de Janeiro com o objetivo de explorar as melhores práticas do Brasil relacionadas à implementação de soluções de transporte sustentável e conhecer sistemas de transporte coletivo que oferecem serviços de alta capacidade. Alguns dos sistemas visitados foram o BRT TransOeste e as barcas, no Rio; o Expresso Tiradentes e o metrô, em São Paulo.

Durante as visitações, foram realizadas reuniões estratégicas junto a autoridades de instituições públicas e privadas ligadas à mobilidade urbana brasileira, com o objetivo de aprimorar o conhecimento dos participantes nas áreas de desenvolvimento, gestão e organização do transporte em escala local. Os tópicos de discussão passaram por integração intermodal, financiamento de grandes investimentos em transporte público – incluindo parcerias público-privadas, gestão de demanda e preparação para os megaeventos esportivos.

Clique aqui e veja os passos da delegação russa no Brasil!

A delegação foi composta por:

Rússia
• Vladimir Lugovenko, Chefe-adjunto do Departamento de Política Estadual para Automóvel e Transporte Urbano de Passageiros do Ministério dos Transportes
• Marina Zabalueva, Chefe de Comunicação Externa do Diretório de Transportes dos Jogos Olímpicos
• Kirill Lavrenov, Chefe de Serviços do Diretório de Transportes dos Jogos Olímpicos
• Igor Titov, Diretor-geral do Instituto Científico de Pesquisa em Transportes a Motor (NIIAT)
• Nikolay Novikov, Vice-Prefeito e Chefe do Departamento de Transportes, Estradas e Melhoria do Espaço Urbano de Lipetsk Oblast
• Evgeny Lipovich, Vice-Prefeito e Chefe-Adjunto da Administração Municipal em Melhoria do Espaço Urbano, Transportes e Ecologia de Ekaterenburg

Banco Mundial
• Jen JungEun OH, Especialista em Transportes e Desenvolvimento Sustentável
• Evgenia Epaneshnikova, Especialista em Transporte Urbano
• Bernardo Alvim, Especialista em Transportes

EMBARQ Brasil
• Rejane Fernandes, Diretora de Relações Estratégicas & Desenvolvimento
• André Jacobsen, Especialista em Transporte Urbano
• Fernanda Boscaini, Gerente de Comunicação