Songdo e Masdar City: sustentabilidade na construção de novas cidades

O futuro é planejado: duas cidades da Ásia estão sendo construídas do zero a partir do conceito de smart city. Utilizando a tecnologia para melhorar o dia a dia dos moradores, Songdo, na Coreia do Sul, e Masdar City, em Abu Dhabi (Emirados Árabes), são dois exemplos de áreas urbanas planejadas a partir das diretrizes de sustentabilidade e uso eficiente de energia, tecnologia e recursos naturais.

Songdo é uma ilha artificial que fica a 65 km de Seul, capital sul-coreana. O governo decidiu investir 80 bilhões de dólares para transformá-la em uma cidade modelo, especialmente no uso da tecnologia, conectando tudo o que for possível à internet para diminuir o impacto ambiental e o trânsito.

Projeto de Songdo, na Coréia do Sul

Os postes de iluminação pública têm sensores que evitam o gasto de energia quando ninguém está passando na rua. O sistema de lixo é unificado e leva os resíduos no subterrâneo, sem a necessidade de caminhões. Até as garrafas PET terão sensores wi-fi para computar descontos nos impostos de quem descartar o plástico para reciclagem de forma correta. E, para diminuir ou eliminar os congestionamentos, sensores nas ruas medirão o tempo de deslocamento dos veículos e as placas serão conectadas à central responsável por controlar o intervalo dos semáforos e auxiliar o fluxo.

No caso de Masdar, a maior inovação é no trânsito: a cidade foi projetada exclusivamente para os pedestres, já que a circulação de carros e ônibus se dará no subsolo. Atualmente, já circulam por lá dez carros elétricos automáticos que não precisam de motoristas, é o chamado sistema PRT (Personal Rapid Transit). O conceito da nova cidade foi desenhado pelo arquiteto britânico Norman Foster.

Masdar City, em Abu Dhabi, projetada exclusivamente para pedestres

Quanto à energia, o instituto de ciência e tecnologia local, que está construindo a cidade em parceria com o governo, desenvolveu placas solares para o topo dos prédios que irão armazenar toda a eletricidade da cidade. Além disso, a energia solar também será utilizada na dessalinização da água e na geração de eletricidade a partir do aquecimento da água. A preocupação com o desperdício de energia levou inclusive à criação de uma “polícia verde” que terá a responsabilidade de controlar o gasto à toa: desde a lâmpada esquecida acessa até aos banhos demorados demais.

O investimento total para a construção de Masdar é de 22 bilhões de dólares, e a conclusão da construção da cidade está prevista para 2025.

Fonte: BBC, Estadão, Catraca Livre